INVESTIGAÇÃO

Contradições de piloto e vigia levaram a prisão

Edmur Guimarra e o funcionário do aeroporto ficarão presos temporariamente

27/06/2019 09:53


O piloto Edmur Guimarra Bernardes e o funcionário do Aeroporto Municipal de Paranaíba, vigia do local, foram presos na manhã desta quinta-feira (27). A prisão foi motivada devido as contradições apresentadas pelos envolvidos, no crime ocorrido em 18 junho no Aeroporto Municipal. Edmur e o vígia ficarão presos temporariamente durante cinco dias, e serão transferidos para Campo Grande. Segundo a delegada, além dos dois mandados de prisão temporária, estão sendo cumpridos na cidade cinco de busca e apreensão em residências, em uma fazenda e outros hangares do aeroporto municipal.

A Delegacia Especializada no Combate ao Crime Organizado (Deco) havia assumido as investigações do roubo do avião do empresário Samuel Garcia Alonso Filho e o desparecimento por mais de 30 horas do piloto Edmur Guimarra Bernardes. Desde a última segunda-feira (24) três pessoas, sendo um investigador, um perito e a delegada responsável pelo caso, Ana Claudia Medina.

De acordo com boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Polícia Civil de Paranaíba (MS). No dia do suporto sequetros, o funcionário do aeroporto municipal contou aos policiais que por volta das 6h da manhã, ao chegar no local de trabalho, foi rendido por duas pessoas encapuzadas.
Ainda segundo o relato da vítima, um dos indivíduos estava armado apontando o revólver,  enquanto anunciavam que "levariam o avião do Samuel da Selena", como é conhecido o empresário Samuel Garcia Alonso Filho.

O funcionário do aeroporto foi amarrado e colocado no banheiro do local, porém viu a chegada de uma camionete Frontier com dois indivíduos, sendo um deles o piloto Edmur. Minutos depois, ainda segundo a vítima, ouviu barulho do avião decolando e tomando rumo incerto. O homem conseguiu escapar e comunicar o fato, que foi registrado como roubo majorado pelo concurso de pessoas.

O monomotor de pequeno porte tem capacidade para carga de cerca de 500 quilos, e capacidade de transporte do piloto mais outros três passageiros em rotas domésticas. A autonomia de voo da aerovane é de 1.695 quilômetros. É um modelo normalmente usado por empresários e fazendeiros que pilotam o próprio avião.

 

 


Talita Matsushita e Alex Santos