EMPRÉSTIMO

Binga, Corujinha e vice Cesinha criticam projeto de Miziara

O projeto enviado em regime de urgência prevê o empréstimo de R$ 35 milhões

16/07/2019 16:31


Os vereadores Binga Freitas e Carlos Renato Garcia Rios (Corujinha), além do vice-prefeito Elson Cesar Garcia (Cesinha Leal) criticaram duramente a atitude do prefeito Ronaldo Miziara em enviar um projeto em regime de urgência pedindo autorização para o Município contrair empréstimo no valor de R$ 35 milhões junto a Caixa Econômica Federal.

Durante participação ao vivo no Jornal do Povo, que vai ar AR na Cultura FM Paranaíba 106,3 Mhz, Binga disse que o prefeito não tem fundamento para um empréstimo deste porte. Atualmente, segundo ele, o Município já possui dívidas de outras administrações que se arrastam há pelo menos 25 anos. “Tem que ter fundamento e prioridade, não tem nada específico para um asfalto, fazer praça, sem isso não temos responsabilidade para votar”, disse o vereador.

Binga ainda contou que na tarde de segunda-feira (15), antes da votação, Miziara teria invadido seu gabinete e o pressionando a votar e fazendo ameaças. “A ditadura já acabou em 1985, cada um tem liberdade de votar como quiser”, contou.  Ele ainda destacou que como o empréstimo tem carência de dois anos, existe a possibilidade de Miziara não estar na Prefeitura caso não seja reeleito.

“Quando ele apresentou o projeto deu vontade de chamar a polícia, por que isso é um crime; R$ 35,5 milhões em dívidas não é investimento, para isso tem dinheiro do Governo Federal. O dinheiro do Município é para custeio e não para dívidas”, criticou.

Binga ainda afirmou que não aprovaria nunca projetos com este cunho, que inviabilizariam as finanças da Prefeitura. Sobre o fato do projeto ter sido enviado na última sessão antes do recesso parlamentar, ele analisa que foi como modo de esconder, para não ser divulgado e discutido pela população. “Foi na calada da noite”, pontuou.

O vice-prefeito Cesinha Leal durante a entrevista destacou que não foi informado com antecedência sobre o projeto do empréstimo, assim como acontece com outras decisões tomadas sem sequer ele ser consultado. “Não podemos deixar um projeto de dívida impagável para o Município. Hoje já existe dívida de R$ 40 milhões e com mais esse montante ficaria inviável de pagar”, analisou.

Cesinha também falou que quem vai pagar esta conta é o povo, como vem acontecendo com o fechamento do frigorífico, por exemplo. Para ele, é preciso política nova, com pessoas enérgicas que queiram trabalhar pelo povo.

O vereador Corujinha também se posicionou contra o empréstimo, além de criticar o fato do prefeito ter enviado o projeto em regime de urgência, sem passar pelas comissões de Justiça e Finanças, disse que Miziara está desenfreado. “É um CBT do queixo duro sem freio” afirmou.

Corujinha ainda disse que caso o projeto fosse aprovado Miziara teria proposto de doar um terreno para a Câmara construir um novo prédio, além do valor de R$ 3 milhões para obra.

“O prefeito não tem credibilidade, nem prestígio, tanto com a população quanto com o Governo do Estado, está tudo [recursos] travado lá em cima, não vem mais nada para ele, pois viram que ele não dá conta de tocar. Está saturado”, observou.


Talita Matsushita