RECLAMAÇÕES

Concurso público da prefeitura terá provas reaplicadas após reclamações

Provas para cargos de procurador e auxiliar de imprensa estavam incompletas, segundo denúncias de candidatos aos cargos

11/10/2019 11:35


As provas práticas e objetiva e Peça Processual para o cargo de procurador, e provas práticas e prova objetiva e discursiva para o cargo de auxiliar de imprensa serão reaplicadas no dia 27 de outubro. 

As datas foram divulgadas na terça-feira (08) no Diário Oficial dos Municípios do Estado do Mato Grosso do Sul. Somente serão convocados os candidatos presentes na aplicação de 22 de setembro de 2019. No edital também foi divulgado o cronograma das provas para acompanhamento. 

Os candidatos que não compareceram nas provas estão eliminados do certame. Os locais e horários ainda não foram definidos pela Nosso Rumo, empresa responsável pela realização do concurso no município, e deverão ser publicadas no edital de convocação.

As provas para os cargos de Procurador e Auxiliar de Imprensa, aplicadas no dia de 22 de setembro, viraram alvo de reclamações por parte dos participantes, devido  sucessões de erros no certame. Conforme candidatos ao cargo de procurador municipal, o caderno veio sem a peça processual, que seria realizada junto com a prova objetiva. Os candidatos fizeram até uma ata de ocorrência para registrar o acontecido.

“A banca não mandou a peça, veio faltando esta parte da prova. Aí mandaram por e-mail a parte que faltava, imprimiram na hora e mandaram para as salas, tivemos que aceitar isto”, disse um candidato.

Segundo a ata, o arquivo recebido por e-mail foi acessado na sala da coordenação da escola onde era realizado o concurso, na presença de membros da comissão organizadora. As cópias foram impressas e entregues aos candidatos.

A prova para o cargo de auxiliar de imprensa estava incompleta segundo os concorrentes. De acordo com relatos, era exigido em edital que se fizesse uma redação, que neste caso seria a prova prática, o que não aconteceu.

Conforme os concorrentes, foi solicitado presença do representante da empresa Nosso Rumo, organizadora do concurso. Com a demora na chegada de um representante, candidatos ao cargo pediram a anulação da prova. Porém, formam informados de que “se entregassem sem a parte prática, iria constar que fizeram apenas metade da prova”. Foi feita uma ata para registrar o ocorrido.

Na época o prefeitura emitiu uma nota pública em sua pagina oficial, informando a criação de uma comissão para questionar a empresa organizadora para que prestasse esclarecimentos sobre os fatos divulgados nas redes sociais.
Em comunicado divulgado aos candidatos, a empresa Nosso Rumo informou que  por determinação do município, apenas as provas para auxiliar de imprensa e procurador seriam reaplicadas.


Alex Santos