Operação Mosquito Zero

Bairros com maior incidência de dengue receberão reforço na 3ª etapa

Rita Vieira, Universitário e Vila Carlota apresentam alto índice de focos da doença

14/02/2020 14:46


Na manhã desta sexta-feira (14), a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) lançou a 3ª etapa da Operação Mosquito Zero – É matar ou morrer”, afim de combater os focos do mosquito Aedes Aegypti. Ao todo, 11 bairros serão atendidos, sendo eles Dr. Albuquerque, Jardim Paulista, Maria Aparecida Pedrossian, Moreninhas, Rita Vieira, São Lourenço, Tiradentes, TV Morena, Universitário, Vila Carlota e Vilas Boas.

De acordo com o informado, até a próxima sexta-feira (21), 372 agentes de endemias se mobilizarão em ações domiciliares para identificação e eliminação de focos/reservatórios de larvas do mosquito, na capital.

Agentes estão hábitos para realizar as fiscalizações, afirmou Marcos Trad.  Foto: Isabelly melo

Durante o lançamento da campanha, que contou com a presença de diversas autoridades, o  secretário municipal de saúde pública, José Mauro Filho, disse que por meio das operações realizadas até o momento já foi possível identificar os locais mais comuns utilizados para a proliferação do mosquito, como vasos e pratos de plantas, baldes, pneus, potes e outros.

O secretário ainda afirmou que, apesar dos números alarmantes de notificações de dengue em Campo Grande, “tecnicamente a capital não tem uma epidemia da doença”, e ressaltou que a situação é controlável, se a população auxiliar no combate aos focos, limpando terrenos, descartando objetos que possam servir de reservatório e deixando os agentes fazerem a vistoria nas residências.

Até o momento já foram confirmados 126 casos da doença, e dois óbitos em Campo Grande. As duas vítimas fatais tinham 30 e 9 anos, reforçando a declaração da Sesau de que o tipo da doença que circula na capital atinge mais os jovens.

E para melhorar o tratamento das pessoas identificadas com dengue, o município requisitou cerca de 130 profissionais capacitados para tratar das doenças transmitidas pelo mosquito, como Chikungunya, Zika, além da dengue, para “melhor manejo clínico”.

O prefeito da capital, Marquinhos Trad (PSD), também esteve presente no lançamento da campanha, e reforçou a necessidade de os moradores deixarem os agentes entrarem nas residências para realizar a vistoria. “As pessoas muitas vezes dificultam a entrada dos agentes, ‘poxa vida’, nós estamos lá para ajudar. E 80% dos focos foram encontrados em imóveis residenciais. Portanto, moradores, recebam os nossos agentes, eles estão qualificados para ajudar nossa população”


Isabelly Melo