RCN/CBN EM AÇÃO LIVE 2020

"O princípio do cooperativismo é a única saída na vida humana", diz Cortella

Filósofo afirma que não há possibilidade da salvação individual e pandemia ajudou aqueles que não enxergavam a ver isso

04/12/2020 19:30


Uma questão bastante pertinente em relação a pandemia do coronavírus é como as pessoas vão agir após esse ano de 2020. Essa foia a pergunta feita pelo presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras no Mato Grosso do Sul, Célso Regis, durante o encerramento do RCN/CBN em Ação Live 2020 realizado nesta sexta-feira (04) com o filósofo, Mário Sérgio Cortella. 

Para o mestre, nem todas as pessoas enxergaram os ensinamentos que a covid-19 trouxe para a humanidade. " Há muita gente que já demosntra que desde agora continuará de um lado tonto e de outro canalha. Mesmo que aja um momento como esse difícil, a pessoa não alterou o modo dela de ser. A pessoa se o era assim antes da pandemia persiste com essa conduta e talvez siga adiante."

No entanto é necessário ter esperança em parte dos que mudaram após o episódio do coronavírus. "Haverá um número grande de pessoas que terão não uma conversão, mas uma mudança do modo de convivência, que notará a importância do cooperar, do colaborar. Que entenderá que uma mudança, como aconteceu, e a vacina só foi possível em menos de um ano como possibilidade e não uma década como considerado na ciência, porque se juntou um esforço e nós precisaremos estar atentos ao momento da distribuição e da aplicação. Porque do contrário, de novo,  poderá vir a tona a lógica de cada um por si e Deus por todos. E isso, numa pandemia, não há a possibilidade da salvação individual", destacou. 

Cortella fez questão de afirmar que o cooperativismo é a única saída para continuar a humanidade. "Ou se consegue lidar com o esforço coletivo ou a pessoa escapa até pouco tempo, mas depois não há como escapar. Por isso, o princípio do cooperativo é a única saída na vida humana. A humanidade só sobreviveu até hoje porque foi capaz de cooperar toda vez que nos afastamos disso, nós nos aproximamos de um momento que é muito danoso", concluiu. 

 


Gabi Couto/CBN