Três Lagoas

Boletim de ocorrência por desacato é registrado contra vereadora

Vereadora teria ofendido verbalmente uma servidora durante trabalho de fiscalização

12/04/2021 16:45


Neste final de semana, 98 pessoas foram abordadas e 15 estabelecimentos comerciais notificados por descumprimento ao decreto municipal em vigência que proíbe aglomerações e o funcionamento de estabelecimentos comerciais após às 20h.

Entre as notificações registradas, uma delas ocorreu na avenida Filinto Müller, no Jardim Dourados. O dono do estabelecimento não poderia estar atendendo ao público após às 20h, a não ser que fosse por delivery. Após esse horário, um cliente teria retirado a encomenda no estabelecimento, o que é proibido pelo decreto municipal.

O trabalho de fiscalização, no entanto, literalmente virou caso de polícia, pois um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil, contra a vereadora Sayuri Baez, que presenciou o fato, juntamente com os vereadores Breno Cesar e Davis Martinelli.

Os três parlamentares também não estariam cumprindo o toque de recolher, já que a partir das 20 horas fica proibida a circulação de pessoas, exceto em caso de deslocamento por trabalho, ou em situações de emergência.

Sayuri disse que os vereadores estavam na casa dela, que mora ao lado do estabelecimento notificado. Os parlamentares, segundo ela, teriam ido em sua residência para discutir a pauta da sessão deste segunda-feira (12), e quando estavam indo embora, se depararam com as viaturas e equipes de fiscalização no local.

Segundo o boletim de ocorrência, a vereadora teria ofendido verbalmente uma funcionária que faz parte da equipe de fiscalização.  Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, “ Sayuri  começou a filmar os fiscais da prefeitura afirmando que estariam prejudicando o comércio local, momento em que a vítima afirmou que estavam apenas realizando o devido trabalho determinado, conforme notificação anexa. Assim, após indagações de Sayuri Baez, esta começou a ofender verbalmente com os seguintes dizeres "você é uma vagabunda, sem vergonha, vou fazer você ser demitida", supostamente intimidando a vítima, momento em que a segurou pelos braços, apertando-a e querendo saber seu nome, para, segundo ela, pedir o afastamento da funcionária”, diz um trecho do boletim de ocorrência.

Sayuri disse a reportagem que é impulsiva, e que a situação poderia ter sido resolvida se a funcionária tivesse se identificado, e que quis apenas defender o comerciante. A vereadora disse ainda que a situação do comércio está difícil e que os fiscais deveriam coibir aglomerações e festas.

De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária de Três  Lagoas, Christovam Bazan , neste final de semana, quase 100 pessoas foram noticiadas por descumprimento do decreto municipal e quase dez festas foram encerradas.

Bazan disse que o final de semana foi de muito trabalho para as equipes, pois mesmo em meio a pandemia e com tantas mortes registradas, ainda sim tem os que insistem em aglomerações e não respeitam os decretos.


Ana Cristina Santos