Polícia

Dono dos Big Foots, esposa e duas filhas são assassinados

A polícia ainda não tem pistas sobre a execução do casal de empresários, em Americana, no interior paulista

16/01/2009 09:00


Quem não se lembra dos carros gigantes e esmagadores que invadiram as ruas de Três Lagoas em meados de outubro e novembro. O proprietário da Big Foot Brasil, Robson Douglas Tempesta, 39 anos foi assassinado juntamente com sua esposa Ana Paula Tempesta, 31, e suas duas filhas, uma de um ano e meio e a outra de oito anos.

A polícia ainda não tem pistas sobre a execução do casal de empresários, em Americana, no interior paulista. Eles foram mortos dentro de uma empresa de eventos, com 16 tiros. As duas filhas, de um ano e meio e oito anos, que haviam sido levadas na quarta-feira pelos bandidos, foram encontradas mortas por estrangulamento, nesta quinta-feira pela manhã, em uma estrada da região.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, da capital, assumiu a investigação. Durante à tarde, delegados, investigadores e peritos do DHPP estiveram no local onde os corpos das duas meninas foram encontrados. Laura, de um ano e meio, e Camila, de oito anos, morreram por estrangulamento. Foi este trabalhador rural que encontrou as duas em uma vala às margens de uma rodovia, em Elias Fausto.

Os corpos foram abandonados a cerca de 50 quilômetros de Americana, cidade onde os pais das crianças foram assassinados. Robson Douglas Tempesta levou 15 tiros e Ana Paula um tiro no rosto.

“Nós saímos de manhã cedo, por volta das 6h, na hora em que subimos, vimos o corpo no barranco. Quando nós paramos o trator no meio caminho é que fomos ver que eram as meninas mesmo”, afirmou o trabalhador rural Benedito de Lima.

Um dos depoimentos tomados pela policia é do segurança do empresário. Ele disse que viu quando dois funcionários saíram do escritório por volta de 19h30. Depois disso, ele tentou falar por telefone com o patrão, sem conseguir contato, entrou na empresa e encontro os corpos. Uma das hipóteses, com que a polícia trabalha, é para o crime de vingança. O empresário era suspeito de estelionato.
“Não haveria outro motivo para um crime tão barbaro“, declarou o delegado Seccional de Americana, João Dutra.

Em um site de relacionamento uma comunidade que se intitula "Eu já levei calote de pilantra", Robson Douglas Tempesta, empresário do ramo de eventos, é descrito como alguém que aplicava golpes em pessoas contratadas pela empresa dele, que prestavam serviços e não recebiam.

Nesta mensagem, uma ameaça: "A casa vai cair, e vai ser logo". Nesta quinta-feira pela manhã, após o crime, um comunicado avisava a todos da morte do empresário e da mulher dele. Lamentava que muitos iriam ficar no prejuízo, mas que “ele não iria mais aplicar golpe em ninguém".

No fim da tarde desta quinta-feira, em Santa Bárbara D Oeste, foram enterrados os corpos do casal e das duas filhas. Inconformado com tanta brutalidade, o pai de Robson nega que o filho tivesse inimigos.

“Que eu saiba não. Se ele tinha, ele nunca me falou nada. Espero que agora fique na mão da Justiça, da polícia. Eu tenho plena certeza que a polícia vai resolver esse problema”, disse o pai de Robson, José Geraldo Tempesta.

Policiais do DHPP de São Paulo ouvem depoimento de pessoas que conheciam as vítimas e que possam ajudar a esclarecer as mortes.

Big Foot Brasil:
http://www.bigfootbrasil.com/index1.asp

Comunidade no orkut " Eu já levei calote de pilantra:
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=17488844


Redação