Polícia

Um morre e dois ficam feridos em tiroteio

O adolescente morto tinha passagens pela polícia; a hipótese de um assalto não foi descartada

22/01/2009 06:17


Um adolescente de 16 anos foi morto e outras duas pessoas ficaram feridas após um tiroteio. O fato ocorreu por volta das 23 horas de terça-feira (20), em frente a um bar situado à rua Augusto Corrêa da Costa, bairro Vila Nova. De acordo com informações da Polícia Militar (PM), o adolescente teria chegado ao estabelecimento em uma motocicleta Honda Fan, placa HTE 2813, acompanhado de uma outra pessoa – ainda não identificada pela polícia -, saído, mas retornado em seguida.
Junto com a dupla teria chegado outros dois suspeitos - um em uma bicicleta vermelha e outro a pé. Todos estariam armados, conforme o delegado da 1ª Delegacia de Polícia, Orlando Sacchi, responsável pelo caso, conseguiu apurar. “Depois disso, ainda não se sabe o porquê, eles começaram a atirar”, disse Sacchi.
Um dos disparos atingiu Rogério dos Santos Celestino, 22 anos, que estava jogando sinuca e conseguiu correr para dentro do bar no momento dos disparos. Em meio à confusão, o policial aposentado Francisco de Araújo, 56 anos, também foi baleado. Os dois foram socorridos pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros e encaminhados ao hospital Nossa Senhora Auxiliadora - Rogério com um ferimento nas nádegas (lado esquerdo) e Araújo ferido no braço. Até o fechamento desta edição, os dois permaneciam internados em observação, mas já estão fora de risco.
A dúvida agora é esclarecer como o adolescente foi baleado. Sacchi explica que, conforme testemunhas, o garoto teria sido atingido durante o tiroteio. “Testemunhas falavam em mais de 15 disparos e que o garoto teria sido atingido pelos disparos do próprio grupo. Mas tudo isso ainda será investigado”, completou.
O adolescente foi morto com apenas um disparo. A munição transfixou o braço e atingiu o coração. Mesmo ferido, ele conseguiu correr cerca de 40 metros até cair em frente a uma residência, ainda com o capacete na cabeça. Próximo ao corpo, os policiais encontraram um revólver calibre 38 com três munições.
 Os outros suspeitos também fugiram a pé, deixando no local do crime o outro capacete, a bicicleta e até mesmo a moto usada. Poucos minutos após o tiroteio, os militares receberam a denúncia de uma pessoa correndo pelas ruas do bairro com uma arma em punho. A equipe da Rondas Táticas do Interior (Rotai) chegou a realizar rondas pela região, mas ninguém foi detido.

INVESTIGAÇÕES

O delegado informou que o caso é investigado com o apoio da Delegacia de Investigações Gerais (Dig). Já pela manhã, os policiais conseguiram identificar o dono da moto. O proprietário teria alegado ter emprestado a moto a um amigo que conhecia o adolescente, mas nega qualquer participação no crime. “A princípio, ele responderá por infração de trânsito, já que entregou um veículo a uma pessoa não habilitada. Mas as investigações continuam”, disse.
Além dele, o proprietário do bar também foi ouvido pela equipe da Dig ontem. O próximo passo será intimar as duas vítimas para prestar depoimento, assim que receberem alta.
“Além disso, um exame de balística também será feito pela perícia para confirmar se os disparos que atingiram as três vítimas saíram da mesma arma apreendida no local”, completa Sacchi.
Até o momento, a Polícia Civil trabalha com a possibilidade de uma tentativa falha de homicídio contra Rogério, “no entanto, a hipótese de uma tentativa de assalto também não foi descartada”, completa o delegado.
Este foi o terceiro homicídio registrado em janeiro. Apenas na terça-feira (20), foram dois: um no Jardim Athenas, contra o aposentado, e o do adolescente. Conforme Sacchi, o adolescente morto teria passagens pela polícia por homicídio, roubo e tráfico de drogas, e ainda teria deixado a Unidade Educacional de Internação (Unei) recentemente. Até o fechamento desta edição, os outros envolvidos não haviam sido identificados.


Divulgação