Política

Ações do governo ajudam o Estado a suportar crise

A avaliação é do governador André Puccinelli, na solenidade dos 30 anos da Sanesul

27/01/2009 06:45


de 24.500 casas construídas por meio do programa habitacional Casa da Gente, que reúne diversos projetos. Chegar a essa marca significa superar a meta inicial, que seria edificar 10 mil moradias por ano, com objetivo de reduzir pela metade o déficit de cerca de 80 mil casas durante os quatro anos da gestão André Puccinelli.
Em novembro, quando a crise econômica mundial começou a ganhar força, o governador determinou a ampliação da meta, como forma de manter e gerar empregos na indústria da construção civil e em toda a cadeia suportada por ela. Ontem (26), durante comemoração dos 30 anos da Sanesul, André anunciou a marca de quase 25 mil casas como uma das conquistas resultantes das ações que a administração vem tomando desde 2007 e que foram incrementadas nos últimos meses frente ao novo cenário econômico mundial.
“Para vencer a crise, em seus aspectos verdadeiros, determinamos a postergação do recolhimento do ICMS, a redução da pauta fiscal de diversos produtos, diminuímos a carga em cima dos setores mais fragilizados, com o compromisso de que eles mantenham os empregos”, destacou André. Ao mesmo tempo em que demonstra atenção ao desenrolar da crise, o governador manifesta confiança no resultado da política de combate à evasão fiscal e de injeção de eficiência na máquina pública. Em um resumo de ações enérgicas e eficazes adotadas, André destacou que o fim de privilégios ficais concedidos a alguns grandes contribuintes no governo anterior e a melhor gestão do custeio – com economia sem perda de qualidade – ajudaram a alavancar a receita estadual.
“Encontramos uma arrecadação de R$ 350 milhões por mês e um déficit de R$ 30 milhões. Sem aumentar imposto, com a diminuição do custeio, conseguimos até 40% de redução", lembrou. Dois casos foram lembrados por André como emblemáticos do aperfeiçoamento na fiscalização. “No setor de carnes, aumentamos em R$ 5 milhões a arrecadação, por conta da igualdade [no tratamento aos contribuintes], e no setor de grãos, acabamos com uma isenção imoral que havia em Dourados”.
 
SUPERÁVIT

A reversão de diversas irregularidades permitiu elevar para R$ 450 milhões – com superávit de R$ 40 milhões – a arrecadação. “Com rigor na fiscalização e eficiência tributária conseguimos em dois anos recursos que superam os oito anos anteriores”, compara André. A Sanesul é um dos exemplos. De empresa deficitária, hoje comemora investimentos recordes na ampliação dos sistemas de abastecimento de água e esgoto por todo o Estado.
Em busca de novos recursos e apoio federal a projetos do governo, Puccinelli vai se reunir com a ministra Dilma Roussef (Casa Civil) para negociar compensações e investimentos. O governador não antecipa detalhes do que deverá ser tratado, mas revelou hoje que incluiu mais um item na pauta, e que agora são seis os pontos que pretende levar a Brasília assim que for confirmada a data da reunião.


Redação