Economia

Preço do combustível mantém-se estável na cidade

Nas últimas quatro pesquisas da ANP, preços da gasolina e do álcoolmantiveram-sesem qualquer alteração

18/09/2012 14:00


Após pequena queda registrada em julho, segue estável o preço do combustível em Três Lagoas. Conforme dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), no levantamento de preços, cujo resultado foi divulgado ontem, o três-lagoense aparece pagando a média de R$ 2.995 no litro de gasolina, dos quais R$ 2,820 no posto de combustível com o preço mais em conta e R$ 3,048, no mais caro. A coleta de dados aconteceu entre os dias 9 e 15 deste mês e equivale à mesma média registrada nas últimas quatro coletas: de 12 de agosto a 8 de setembro.

A mesma estagnação pode ser constatada no preço do álcool. Segundo levantamento de preços da ANP, em Três Lagoas, o preço médio do etanol no município é, há cinco semanas, de R$ 2,397 o litro na bomba – R$2,449 (valor máximo) e R$ 2,249 (valor mínimo). O desvio padrão é de R$ 0,060. 
Entretanto, a leve queda dos preços e a estagnação que aconteceu em seguida não foram suficientes para tirar de Três Lagoas o título da cidade com o combustível mais caro de Mato Grosso do Sul. Atualmente, ela apenas divide essa posição com a cidade de Paranaíba, cujo preço da gasolina está empatado R$ 2,995 o litro, na bomba. 
A diferença com Campo Grande, local com a gasolina mais barata de MS, é de R$ 0,185 o litro. Na capital sul-mato-grossense, o preço médio da gasolina é R$ 2,810. Já comparado à Araçatuba, cidade paulista a 138 km de Três Lagoas, a diferença é de até R$ 0,24 por litro. Naquele município, o preço médio é de R$ 2,751, segundo pesquisa divulgada ontem pela ANP. 
O levantamento de preços da ANP é realizado semanalmente. Em Três Lagoas, são pesquisados preços dos 14 postos de combustíveis em funcionamento. A coleta de dados leva, em média, dois dias para ser concluída.

MINISTRO
Para alívio dos três-lagoenses, no fim de semana passado, o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, voltou a assegurarque uma eventual alta no preço dos combustíveis não está na pauta imediata do governo. De acordo ele, durante a participação do programa “Bom Dia, Ministro”, nos próximos cinco anos será necessário um investimento de US$200 bilhões na Petrobras, incluindo os gastos com exploração na camada do pré-sal a partir do ano que vem. 

Um dia antes, a presidente da Petrobras, Graça Foster, havia dito, em audiência pública no Senado, que a previsão de investimentos da estatal na produção de petróleo até 2016 será US$ 131,6 bilhões. Sobre o preço dos combustíveis no país, ela afirmou que a empresa não teve prejuízo, mesmo deixando de repassar a alta do óleo para os consumidores brasileiros.

Claudio Pereira