Brasil

TST irá julgar dissídio coletivo dos Correios nesta quinta-feira

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) irá julgar amanhã (27) o dissídio coletivo dos Correios.

26/09/2012 07:43


Não houve acordo entre os Correios e o sindicato na audiência de conciliação desta terça-feira (25), no TST, já que as propostas apresentadas pelo tribunal ultrapassam a capacidade financeira da empresa, causando impactos sempre superiores ao lucro operacional registrado no primeiro semestre de 2012.

A proposta da ECT prevê reajuste de 5,2% nos salários e benefícios, garantindo o poder de compra do trabalhador com a reposição da inflação do último ano. O salário-base inicial, por exemplo, iria para R$ 991,77. Somado o adicional de atividade que os carteiros recebem, o vencimento subiria para R$ 1.289,30. Este cargo é de nível médio.
Benefícios
 
Os Correios ainda oferecem aos trabalhadores vale transporte, assistência médica, hospitalar e odontológica para empregados e seus dependentes (inclusive na aposentadoria) e adicionais de atividade. Nos últimos nove anos os trabalhadores da ECT tiveram até 138% de reajuste salarial, sendo 35% de aumento real.
Além disso, a empresa vem investindo na melhoria das condições de trabalho: nos últimos 21 meses contratou 10 mil novos empregados e está contratando 3.302 novos empregados, de um total de9.904 a serem admitidos até abril de 2013; investiu R$ 250 milhões na compra de 14 mil veículos e equipamentos e na construção, reforma e ampliação de 700 unidades operacionais, administrativas e de atendimento.
Balanço

Nesta terça-feira, 90,3% dos 120 mil empregados trabalharam normalmente — 11.724 aderiram à paralisação. A aferição de presença é feita por meio de sistema eletrônico de ponto.Os Correios entregaram 86,3% de toda carga recebida até segunda-feira, o que equivale a 122,6 milhões de cartas e encomendas.
Para garantir a entrega de cartas e encomendas à população, a empresa está adotando medidas como realocação de empregados das áreas administrativas, contratação de trabalhadores temporários, realização de horas extras e mutirões nos finais de semana.
Em Mato Grosso do Sul
 Apesar da paralisação ter sido decretada pelo Sindicato nesta terça-feira (25), 97,2% dos empregados dos Correios no estado permanecem trabalhando normalmente e todas as agências funcionam em seu horário costumeiro.
A rede de agências no País está aberta e funciona normalmente, sendo uma alternativa de atendimento bancário, por meio do Banco Postal. Todos os serviços de entrega dos Correios, inclusive o SEDEX, estão disponíveis, com exceção dos que têm “hora marcada” (SEDEX 10, SEDEX 12 e SEDEX Hoje e o Disque-Coleta) destinados a São Paulo capital e região metropolitana, Tocantins, Distrito Federal, Paraná, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. No Rio de Janeiro, estão suspensos apenas a entrega de SEDEX Hoje e o Disque-Coleta.
Os Correios estão envidando todos os esforços para garantir o atendimento à população brasileira e, antecipadamente, pedem desculpas pelos eventuais transtornos que possam vir a ser causados aos cidadãos.

Redação