Três Lagoas

Sitrel conclui testes e começa a operar

Produção será de 400 mil toneladas por ano e deverá abastecer o mercado interno

28/12/2012 08:12


 A Siderúrgica de Três Lagoas (Sitrel) finalizou a fase de testes na semana passada e já começou a comercializar os produtos. Com a finalização dos testes, a empresa obteve a certificação de registro do Inmetro, o que permite a operação e a comercialização de seus produtos. A Sitrel, no entanto, não informou qual foi a quantidade produzida nessa fase.

A usina de Três Lagoas vai operar como uma unidade de laminação de barras e vergalhões que utilizará tarugos provenientes da usina da Votorantim Siderurgia em Resende, no Rio de Janeiro (RJ). A capacidade de produção será de 400 mil toneladas de aços longos por ano. Os produtos da Sitrel serão comercializados em todo o país. A empresa investiu R$ 250 milhões na unidade local. 

A previsão inicial era de que a laminadora iniciasse a operação no primeiro semestre deste ano, o que não ocorreu. O atraso deve-se ao esfriamento da demanda doméstica e internacional que ocorreu desde o segundo semestre do ano passado. Apesar disso, a empresa informou que o pequeno atraso na conclusão da obra ocorreu em virtude das fortes pancadas de chuva na região de Três Lagoas, mas que não comprometeram o prazo previamente estabelecido para a inauguração da nova unidade.

EMPREGOS
De acordo com a assessoria da Sitrel, a previsão é de que a empresa conte com cerca de 200 funcionários até começar a operar com 100% de sua capacidade. Informou também que, não apenas na construção, como na operação do projeto, a Votorantim Siderurgia privilegiou a contratação de mão de obra local, atendendo ao mesmo tempo às exigências de qualificação técnica.  Através da Escola de Aço, vários jovens da região foram qualificados para a operação em siderurgia em diferentes níveis. O programa foi uma parceria firmada com a Múltipla e o SENAI, a partir da qual foram selecionados potenciais pretendentes ao cargo de técnico em manutenção.  Os aprovados foram treinados pelo SENAI de Três Lagoas e, durante o treinamento, receberam uma bolsa auxílio. 

 Além dos empregos diretos, o impacto socioeconômico na cidade, conforme a empresa, deverá ser bem maior, pois as estatísticas mostram que para cada emprego direto são gerados em média 3,5 empregos indiretos na região. Além disso, a nova siderúrgica contribuirá com a geração de divisas para a Prefeitura e para o governo do Estado.

A Siderúrgica Três Lagoas complementará as operações da Votorantim Siderurgia. Trata-se de uma joint venture com o empresário Alexandre Grendene, um dos donos da fábrica de calçados Grendene. A localização da Sitrel, segundo a assessoria, é estratégica e o start up dessa operação é mais um passo da Votorantim Siderurgia para se tornar uma das maiores produtoras de aços longos das Américas. Ressaltou também que a empresa optou por Três Lagoas por acreditar no desenvolvimento do município.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marco Garcia de Souza, com essa unidade, Três Lagoas passa a ser mais um polo de siderurgia. “A Siderúrgica é um projeto anunciado em 2010, e que está sendo concluído agora. A Sitrel atenderá à demanda da construção civil, com a linha de vergalhões de todos os tamanhos comercializado em todo o país.”, destacou o secretário.

A Votorantim Siderurgia tem uma atuação importante no mercado siderúrgico. A empresa é um dos principais players do setor e atua na fabricação e comercialização de aços longos. No Brasil, conta com duas unidades siderúrgicas no sul fluminense: uma em Barra Mansa, com capacidade produtiva de 800 mil toneladas por ano, e outra em Resende, com capacidade de 1 milhão de toneladas por ano. No exterior, a Votorantim Siderurgia é acionista majoritária da Paz Del Rio, na Colômbia, com capacidade de produção de 450 mil toneladas por ano, e ainda controla a empresa Acerbrag, na Argentina, com capacidade de 300 mil toneladas anuais.

Arthur Freire/JP