Três Lagoas

MS tem maior produtividade na pecuária de corte

Abates realizados no Estado corresponderam a 16,4% do resultado nacional, segundo a Famasul

21/02/2013 07:55


Mato Grosso do Sul apresentou maior taxa de desfrute de bovinos de todo o Brasil em 2012. Conforme estudo divulgado pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), informativo Casa Rural, no ano passado, foram abatidos 3,8 milhões de animais, o equivalente a 923,4 mil toneladas de carne e um aumento de 24% em comparação ao ano anterior, quando o estado registrou acúmulo de 21,55 milhões de unidades. A taxa de desfrute mede a capacidade do rebanho em gerar excedentes, ou seja, a produção – seja ela em cabeças ou arroba – em determinado espaço físico e de tempo em relação ao rebanho inicial.

Ainda segundo a Famasul, no ano passado, os abates realizados em Mato Grosso do Sul corresponderam a 16,4% do resultado nacional, que chegou a 23,32 milhões de animais. 

Mato Grosso, segundo colocado no ranking, apresentou taxa de desfrute de 16,84%, considerando-se o abate de 4,94 milhões de bovinos e um rebanho total de 29,27 milhões de animais. Goiás, outro grande estado produtor de gado, ficou na terceira posição, com abate de 1,9 milhão de bovinas e rebanho total de 21,74 milhões. Já em Minas Gerais, a taxa é de 6,52% (abates de 1,56 milhão/cab e rebanho de 21,75 milhões/cab).

INVESTIMENTOS
Para o presidente do Sindicato Rural de Três Lagoas, Pascoal Luiz Secco, o resultado do desfrute representa amadurecimento do produtor rural e também investimentos na melhoria da produção. “Temos que elaborar estudos locais. Mas no geral, Mato Grosso do Sul está apresentando uma taxa de desfrute boa, com alto coeficiente. O que é taxa de desfrute? É produzir mais, com maior qualidade em menor área e espaço de tempo”, declarou.

Segundo o pecuarista, o resultado de Mato Grosso do Sul mostra que os produtores estão conseguindo essa meta. “O Estado tem se destacado na implantação de novas tecnologias e investimentos na produção para aumentar a taxa de desfrute. Com a diversificação da cultura, no caso da nossa região com o eucalipto, o produtor está investimento cada vez mais para melhorar o coeficiente de produção. Para isso, existem muitos projetos, em parceria com os sindicatos, com a Embrapa e Senar”, lembrou.

ABATES
No entanto, uma questão é motivo de preocupação. Segundo Pascoal, no ano passado, houve um aumento significativo no abate de fêmeas – os dados da Famasul apontam que o aumento foi de 30% no abate de matrizes, enquanto que o de machos foi de 19%. 

Para o presidente do Sindicato, o resultado pode comprometer a produção futura de bovinos. “Com essa diversificação do mercado, no nosso caso com a entrada das florestas, é comum o processo de abatimento de fêmeas. Três Lagoas teve uma redução do rebanho significativa”, disse.

Em 2012, Mato Grosso do Sul exportou 111,3 mil toneladas de carne bovina in natura, resultando em US$ 514 milhões. O resultado corresponde a um aumento de 52% em comparação ao ano de 2011 - número cinco vezes superior ao crescimento das exportações nacionais, que foram de 15%. A participação do Estado nas exportações brasileiras também aumentou de 8,6% para 11,7%.

Em fevereiro, entretanto, houve novo recuo, de 13,6%, nas exportações por conta dos embargos econômicos sofridos pelo Brasil. Ainda segundo o estudo, para reverter esse quadro, o país tem tentado aproximação com a Rússia e países do Mercosul.

Arquivo/JP