Região

Inocência é referência em programa de pequena empresa

Município atinge todas as metas e chegou a ser premiado na Expocidade

27/02/2013 08:14


Modelo em compras governamentais e desburocratização e detentor do Selo Implementação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, o município de Inocência passou a ser referência na execução do programa de apoio à pequena empresa. O Prolocal desenvolveu 148 ações, que atingiram um público de 2.984 pessoas, capacitadas nos diversos segmentos, segundo balanço apresentado pelo agente Lourenço Ezidio de Melo e sua suplente Sônia Ezidio de Melo.

As ações em Inocência buscaram capacitar e qualificar nas áreas do poder público, empreendedorismo individual, desburocratização e desenvolvimento local. Além de Lourenço e Sônia Melo, são agentes de desenvolvimento no município Lina Luíza Campos (suplente), presidente da Associação Comercial e Industrial de Inocência, e Huguimar de Paula, presidente do Sindicato Rural de Inocência.

Em Inocência, a implementação da Lei Geral começou em 2010, a partir da aprovação da Lei Complementar que instituiu a “Lei Geral do Micro Empreendedor, Empreendedor de Pequeno Porte e Micro Empreendedor Individual” nos limites do município. O convênio entre a Prefeitura e o Sebrae permitiu desenvolver um amplo programa de cursos e seminários, treinamentos, palestras e consultorias voltadas à capacitação dos empreendedores. 

“Neste ano, novos cursos, palestras e treinamentos vão acontecer. O Sebrae quer investir ainda mais em Inocência devido às ações que foram realizadas, mas é preciso mais participação daqueles que ainda não aderiram ao projeto. Estamos à disposição de todos os empresários e pequenos produtores para orientá-los da melhor maneira possível, através do Sebrae-MS, diz o professor Lourenço Ezidio de Melo.

O prefeito de Inocência, Antonio Angelo Garcia dos Santos (Toninho da Cofapi-DEM) foi reconhecido com o Selo Implementação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas durante a Expocidades - Congresso para o desenvolvimento dos Municípios, ao lado de outros 16 prefeitos, por desenvolver ações efetivas para tirar do papel a Lei Geral. 

Toninho da Cofapi destaca que, em parceria com o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, foram realizados 23 cursos com 281 participantes. Com o Sebrae, foram 23 treinamentos, oficinas e palestras, entre outras ações que chegaram também ao funcionalismo público. O Senar investiu R$ R$ 70.600 e o Sebrae aproximadamente R$ 276 mil nas ações de capacitação, treinamento e formação.

Divulgação