Três Lagoas

PF prende cinco por pesca predatória no rio Paraná

Policiais já apreenderam mais de 50 quilos de pescado

02/03/2013 08:32


Uma equipe da Polícia Federal de Três Lagoas, durante fiscalização no trecho entre a ponte férrea e a Usina Hidrelétrica de Jupiá, prendeu três homens e aprendeu dois menores, além de mais de 30 quilos de pescado, na manhã de ontem.  Os pescadores estavam utilizando varas de pescar para capturar os peixes. De acordo com o delegado Daniel Coraça Júnior, neste trecho é proibido pescar em qualquer época do ano. “Pescar nesta área é altamente perigoso”, explicou.

Conforme Coraça, a mobilização começou nessa quarta-feira e foi realizada com o intuito de coibir a pesca nas proximidades da usina hidrelétrica, onde essa atividade é proibida. No primeiro dia de operação, os policiais prenderam duas pessoas e também apreenderam 50 quilos de pescado, três embarcações, dois motores de popa, isca viva e petrechos de pesca, como rede e tarrafa. 

A embarcação utilizada na operação, segundo o delegado, pertence à delegacia de Corumbá. Entretanto, o equipamento vai ficar em Três Lagoas por período indeterminado e a equipe da Polícia Federal irá realizar várias operações com o intuito de combater a pesca predatória. Coraça informou ainda que esse trabalho é uma ação compartilhada com a Polícia Militar Ambiental e com o Ibama, que são os três órgãos responsáveis por crimes ambientais, como pesca, caça e desmatamento.

PIRACEMA
Com o encerramento do período da Piracema, vigente de 1º de dezembro do ano passado a 28 de fevereiro de 2013, que restringe a pesca de espécies nativas nos rios nacionais, a Polícia Militar Ambiental (PMA) divulgou, na manhã de ontem, o balanço da operação.

De acordo com comandante da PMA, Gildo de Souza, neste período de defeso os policiais aplicaram R$ 6.620 em multas a pescadores que estavam pescando nos rios que cortam Três Lagoas, Água Clara, Brasilândia e Ribas do Rio Pardo, além da apreensão de três motores de popa, 20 quilos de peixe, 250 m de rede, três tarrafas, 15 varas de pesca, 55 anzóis de galho, três fisgas, um arpão e um pé de pato.

Segundo o comandante, as apreensões realizadas neste período de Piracema foram 70% menores ao serem comparadas com números do ano passado. Ele acredita que a queda está relacionada à intensificação das fiscalizações por parte da PMA e também por conta do valor das multas, que variam de R$ 700 a R$ 100 mil. 

Redação