Três Lagoas

Pescadores preveem vender 30 toneladas de peixe

A quantidade é superior em 50% ao montante vendido no mesmo período do ano passado

27/03/2013 08:45


A direção da Colônia dos Pescadores do Jupiá pretende comercializar nesta Semana Santa cerca de 30 mil quilos de peixe. A quantidade é superior em 50% ao ser comparada ao mesmo período do ano passado, quando os 300 pescadores cadastrados na instituição venderam, juntos, 20 mil quilos de pescado. 

De acordo com o presidente da Colônia, Antônio de Souza Farias, 49, o preço do quilo de peixe varia entre R$ 8 e R$ 22. A espécie mais procurada é a Piapara, que custa em média R$ 12. Mas, há também outras espécies, como o Pintado que custa, hoje, R$ 22 o quilo sem cabeça, e R$ 18 com cabeça. Já o filé de Tilápia é comercializado a R$ 20. 

Entretanto, Farias informa que esses preços estarão em vigor até o próximo dia 26. Já a partir dos dias mais próximos à sexta-feira santa os preços sofrerão acréscimos, porém, não divulgou a porcentagem de aumento. “É importante o consumidor não deixar para comprar pescado na última hora, pois corre o risco de pagar mais caro ou até ficar sem peixe. É a lei da oferta e da procura”, disse. 

ESTOQUE
Farias, que pesca há mais de 30 anos, já está estocando peixe nos seus freezers há alguns dias para comercializá-los na Semana Santa. Sua meta é vender neste período cerca de dois mil quilos. “Esta é a época em que as pessoas mais consomem pescados. Uns por conta da tradição religiosa, outros por puro modismo”, contou.

Já a pescadora Luciana Aparecida de Almeida optou por não estocar o produto. Tudo o que ela e o marido pescaram no dia, cerca de 40 quilos de peixe, já foi vendido. “O peixe fresco é bem mais saboroso”, frisou.

Segundo pesquisa divulgada pela Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul (Fecomércio), mais da metade da população, 57,3%, deverá consumir peixe na Semana Santa. Deste total, 87,5% informaram que preferem peixes frescos. A espécie Pintado é apontada como a preferida dos três-lagoenses, segundo levantamento. A pesquisa foi divulgada no começo desse mês.

Artur Freire/JP