Brasil

Google paga US$ 30 mi pela Wavii, aplicativo para ler notícias

Empresa de Seattle havia sido sondada pela Apple e é concorrente da Summly, recém-comprada pelo Yahoo

26/04/2013 14:30


Ao longo da última década, o Google tem sido um dos maiores - e mais bem sucedidos compradores da indústria da tecnologia, e ele deve muito do seu sucesso a essas compras. Estratégia essa que continua a ser perseguida por seu presidente Larry Page, que pagou cerca de US$ 30 milhões em dinheiro pelaWavii, segundo fonte com conhecimento do assunto.

Trata-se de um empresa iniciante de Seattle responsável por um aplicativo de leitura de notícias que pode não fazer diferença imediatamente no portfólio do mais popular site de buscas do planeta. Mas que o coloca na dianteira de rivais como Apple, que já havia demonstrado interesse na compra da Wavii para incorporar a tecnologia de linguagem natural da empresa ao Siri, ferramenta que funciona
sob comando de voz.

Também sucede uma transação do Yahoo, que pagou uma quantia similar para comprar a Summly, rival da Wavii. Um sinal do potencial do Wavii é a lista de investidores, que inlui Max Levchin, co-fundador da Paypal, Dave Morin, exexecutivo do Facebook, e Fritz Lanman, que era da Microsoft. Google e Wavii não quiseram comentar o assunto.

Carrinho cheio
A compra de uma parte da Motorola por U$ 12,5 bilhões ainda é maior aquisição do Google até agora - mais de quatro vezes o preço do DoubleClick, o líder anterior. Mas o gigante das buscas tem no histórico um carrinho cheio.

O núcleo da sua plataforma de busca com publicidade e a maior parte de seus novos grandes negócios, incluindo Android, YouTube, e publicidade de display, todos têm vindo de outras empresas.

A estratégia tradicional de compra da Google identifica pequenos grupos de pessoas talentosas, como os criadores do Android, que podem crescer muito mais com os recursos do site por trás deles.

Mas eventualmente a companhia supera a barreira do bilhão de dólares para comprar empresas que já eram bem-sucedidas, e já fez inúmeras aquisições na casa entre US$ 100 milhões e US$ 750 milhões. Veja algumas delas:

US$ 3,1 bilhões pela DoubleClick
A compra da DoubleClick em 2008 auxiliou a empresa a servir anúncios para usuários de sua ferramenta de busca e outros serviços. Essa compra quase foi superada quando o Google tentou - sem sucesso - comprar o Groupon por US$ 6 bilhões.

US$ 1,65 bilhão pelo YouTube
O Google lançou a própria ferramenta de busca de vídeos em 2005 e impulsionou sua estratégia na área com a compra do YouTube no ano seguinte. Sob sua liderança, o YouTube permaneceu como um gigante da tecnologia e até mesmo cultural.

US$ 750 milhões pela AdMob
A compra da empresa de publicidade móvel AdMob em 2010 fez todo sentido para a Google, e foi muito menos cara do que a Motorola Mobility, outra aquisição direcionada a expandir as ambições mobile do gigante de buscas.

Redação