Em tempo

Antes tarde do que nunca

Leia o editorial da edição deste sábado (30) do Jornal do Povo

30/04/2016 09:17


Ninguém desconhece a deterioração da malha viária urbana de Três Lagoas. É certo, que  vida útil do pavimento asfáltico asfalto tem prazo de validade. Portanto, o planejamento da Secretária de Obras do município deveria ao longo dos anos estabelecer cronograma para o seu restabelecimento. Mas, ao contrário e infelizmente deixaram a cidade que tem grave problema de escoamento de águas pluviais ficar cheia de por buracos na extensão das vias públicas.

As sucessivas operações tapa buracos nunca tiveram o condão de equacionar o problema, pois ao despejaram em cima dos buracos que foram surgindo uma massa asfáltica sem observar quaisquer critérios corretos para a execução desse serviço, que exige procedimento idêntico ao que o dentista dá ao cuidar de uma cárie no dente, simplesmente adiaram o problema que acabou por se tornar grave e comprometer o aspecto da cidade. Para agravar, chuva após chuva deteriorava  a tapagem do buraco, e o serviço se perdia, e novos buracos e mais buracos surgiam e o dinheiro público ia para o ralo do esgoto. 

Recentemente, o município com dotação orçamentária própria, passou a recapear ruas e avenidas da cidade utilizando massa asfáltica imprimada sobre a camada de asfalto já existente. Entretanto, verifica-se que a execução desse serviço não é precedida de um levantamento topográfico prévio para prevenir o acúmulo de poças  d’água na via pública, que deteriora e encurta a vida útil do asfalto. Outra constatação é a de que áreas destinadas para estacionamento de veículos junto aos canteiros centrais não estão sendo recuperadas com um novo pavimento. 

Diante desta averiguação, as avenidas continuam apresentando um aspecto de falta de manutenção. E, por isso, a essa aparência continua dando à cidade aspecto de maltratada e abandonada. Assim, igualmente, estão maltratados e abandonados os  jardins dos canteiros centrais, que reclamam poda de suas árvores, reposição de plantas ornamentais, conserto de suas calçadas, e cuidados diários com a sua vegetação. É certo que atenção com esses pontos para a manutenção das vias públicas dar-se-ia um novo aspecto à cidade, que reclama mais limpeza nas vias públicas. O bom aspecto e conservação de ruas e avenidas as quais devem sempre se apresentarem limpas, bem varridas com calçadas bem conservadas onde exista guia e sarjeta, além da manutenção de limpeza de terrenos baldios, que devem estar murados, indiscutivelmente, mudará a cara da cidade. 

É esse ambiente de limpeza e conservação que contribuirá nesta fase final deste período administrativo que completará seis longos anos, já que estamos prestes a novas eleições municipais, que poderá melhorar os índices de aprovação da atual administração no município. Sem contar, que contribuirá substancialmente para aumentar a autoestima do três-lagoense que está em baixa, agravado pela conjuntura nacional diante da revelação de tanta corrupção e incompetência que assola a vida pública do país. Nessa altura da fase terminal do governo municipal, certamente não resta alternativa senão a de se fazer ajustes para minorar deficiências identificadas em todos os setores e nos escalões responsáveis pela condução da administração da cidade. 

É louvável a recuperação da malha asfáltica das vias urbanas da cidade. Entretanto, é obrigação de qualquer cidadão que observa a execução deste serviço alertar para que procedimentos de engenharia relegados ao esquecimento,  sejam corrigidos a tempo e não se perpetuem na cidade como ocorre atualmente com o acúmulo de águas de chuvas em nossas nestes pontos das ruas, as quais reclamam de atenção para melhorar o aspecto e valorização do traçado urbano da cidade. Adotadas estas providências far-se-á  contraponto a outras deficiências que só o tempo e muito trabalho e competência haverão de serem corrigidas. 

A execução de medidas mínimas com os cuidados com a cidade, se adotadas antes tarde do que nunca, certamente, haverão de  redimir as críticas ácidas e duras que a opinião pública faz a atual administração.


Redação