Boa notícia

Ações são intensificadas e reduzem índices de casos de raiva em MS

Em 2015 o estado registrou o menor índice de focos de raiva dos últimos 8 anos

27/06/2016 12:30


O ritmo intenso empregado nas ações de controle da raiva realizadas pela equipe da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) sinaliza que os resultados do balanço, que serão divulgados no mês de julho, devem superar positivamente os obtidos no mesmo período do ano passado.

Segundo o coordenador do Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros, médico veterinário Fabio Shiroma de Araujo, o controle da população destes transmissores é realizado através de visitas às propriedades rurais.

Organizadas com base em análise de risco da raiva em todo o Estado, as ações de captura são direcionadas às regiões mais propensas à ocorrência da enfermidade, para  a busca de possíveis abrigos e realização da captura. O principal ponto que colaborou para uma redução significativa dos índices de raiva em Mato Grosso do Sul nos últimos anos foi o constante trabalho de orientação e educação sanitária com os produtores e trabalhadores do campo.

Em 2015, o Estado registrou o menor índice de focos de raiva com redução de 57% nos casos em relação à media dos últimos 8 anos, com a captura de 2.292 morcegos hematófagos.

Somente nos dois primeiros meses deste ano a equipe contabilizou a captura de 307 morcegos hematófagos, em 27 municípios do Estado, resultado de 211 visitas às propriedades com maior risco de ocorrência da doença e 109 vistorias de abrigos. Neste mês de junho, já foram vistoriados 25 abrigos com captura e controle de 263 morcegos hematófagos.

Causador de enormes prejuízos à pecuária, em Mato Grosso do Sul a ocorrência da doença é favorecida pela sua posição geográfica, em consequência de fatores como a topografia e o clima favoráveis ao desenvolvimento de diversas espécies de morcegos, principalmente do morcego vampiro (hematófago)  principal transmissor  da doença em bovinos, equídeos, ovinos e caprinos.

Por se tratar de um animal silvestre e que se alimenta basicamente de sangue de bovinos e equinos, esses morcegos habitam geralmente locais de difícil acesso, como por exemplo casas e poços abandonados, regiões de morros e serras, tubulações sob rodovias, entre outros.

(Informações do site Notícias MS)

 


Viviane Pinheiro