Queda

Queda de doações no Inverno afeta estoque de banco de sangue

No mês passado, índice de bolsas de saída foi maior do que o de entrada

11/07/2016 16:05


O período de Inverno tem refletido no estoque de bolsas de sangues do hemonúcleo de Três Lagoas. Segundo o médico Cléber Ronaldo Caetano, no frio, caiu o número de doadores e, consequentemente, o volume em estoque.

No mês passado, por exemplo, disse que o índice de bolsas de saída foi maior do que o de entrada. “Em julho, que é um mês de férias, em que mais ocorrem acidentes de trânsito, é um período em que a gente mais precisa de doações, principalmente dos tipos sanguíneos mais incomuns. O frio interfere nas doações, já que as pessoas ficam mais em casa ou no local de trabalho”, comentou.

O médico informou que existem alguns parâmetros utilizados no hemonúcleo para as doações de sangue, entre eles, o de aceitar doares com 16 anos de idade, desde que estejam munidos com o documento de um responsável. “Geralmente a faixa etária que estendemos vai até 65 anos. Tendo uma boa saúde, não tendo vício - o cigarro não é contraindicação - podem vir doar”, explicou.

O hemonúcleo de Três Lagoas atende não apenas pacientes da cidade, mas dos municípios que fazem parte da Costa Leste, que necessitam de bolsas de sangue. Às vezes, até para Campo Grande, bolsas são enviadas, segundo o médico. Mas, nem sempre pessoas desses municípios doam sangue.

O órgão fica na rua Manoel Rodrigues Artez, número 520, bairro Colinos.

 


Ana Cristina Santos