Educação

Criação da UFTL ganha apoio político

Classe política do Estado apoia o projeto para transformar o campus da UFMS de Três Lagoas em Universidade Federal

01/04/2017 10:14


Após nove anos do início das tratativas para transformar o campus da UFMS em Universidade Federal de Três Lagoas (UFTL), nesta semana esse processo ganhou um avanço com a declaração de apoio dos representantes da classe política da cidade e do Estado a esse projeto. 

O diretor do campus local da UFMS, Osmar Jesus de Macedo, se reuniu com representantes da reitoria da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e com senadores para tratar da criação do campus. Os senadores Pedro Chaves (PSC\MS), Waldemir Moka e Simone Tebet, ambos do PMDB, declararam que apoiam e vão contribuir com esse projeto, que começou a ser discutido em 2008, quando o Conselho Universitário da UFMS chegou a aprovar a criação da UFTL, porém de lá para cá, sem grandes avanços.

Nesta semana, porém, além do apoio dos senadores, o diretor do campus teve o aval também do prefeito de Três Lagoas, Ângelo Guerreiro (PSDB), e do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), bem como do próprio reitor da UFMS, Marcelo Turine. 

A intenção é que o campus da UFMS em Três Lagoas seja transformado em uma universidade federal autônoma, como aconteceu em 2005, quando a partir do antigo campus da instituição em Dourados foi criada a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). “Agora estamos tendo um alinhamento e contamos com a força da classe política”, destacou.
A partir de agora, segundo o diretor, é elaborar e apresentar um projeto bem feito ao Ministério da Educação (MEC), mostrando os indicativos que comprovem a necessidade da criação da universidade em Três Lagoas. Osmar, no entanto, disse que esse não é um processo simples, já que depende de aprovação do governo federal e recursos. E, diante do atual cenário do país, acredita que esse é um projeto que pode ser aprovado no final de 2018. 

O senador Pedro Chaves disse que vai fazer gestões junto ao MEC para que isso aconteça “Vários estados brasileiros têm mais de uma universidade federal. Minas Gerais, por exemplo, tem onze. O Rio Grande do Sul tem sete. Em Mato Grosso do Sul, são duas – a UFMS e a UFGD – e nada nos impede de termos pelo menos mais uma, justamente em uma das cidades que mais cresce em nosso estado. O importante é termos um projeto viável, vocacionado para a região”, argumentou o senador.

O campus da UFMS em Três Lagoas tem hoje 2.370 acadêmicos distribuídos em 13 cursos de graduação, entre eles Medicina, Direito, Administração e Licenciaturas. Outros 357 alunos fazem pós-graduação – 4 Mestrados em Letras e Matemática e 1 Doutorado em Letras. O plano de expansão da instituição prevê a criação de cursos de Engenharia, para atender a demanda da região, que é grande produtora de papel e celulose e, a médio prazo, terá em funcionamento uma fábrica de fertilizantes.


Ana Cristina Santos