Polícia

Três Lagoas tem aumento de 634% nas apreensões de maconha em 2017

Localização geográfica próxima a divisas de estados transforma cidade em rota do tráfico de drogas e contrabando em MS

15/04/2017 07:44


A Polícia Militar (PM) de Três Lagoas apreendeu, nos primeiros três meses de 2017, 634% a mais de maconha do que no mesmo período de 2016. Os dados foram divulgados pelo 2º Batalhão da PM. Em números absolutos, foram 1.409.397 quilos da droga apreendidos este ano, contra 192.003 no ano passado. A maior apreensão ocorreu em janeiro, quando a Patrulha Rural prendeu um homem de 28 anos, que transportava 813 quilos do entorpecente. Ele disse, no momento da prisão, que levaria a droga para Itumbiara (GO).

A proximidade com as divisas de estados faz Três Lagoas ser uma rota do tráfico em Mato Grosso do Sul. Carros carregados em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, e em Dourados – caso da maior apreensão do ano, são alguns dos exemplos de prisões ocorridas na cidade. Os números citados aqui mostram apenas apreensões feitas pela PM, não estão na conta as apreensões feitas nas estradas, pela PRF (Polícia Rodoviária Federal). “A nossa localização geográfica contribui para esse aumento no número de apreensões. Se dizemos que Ponta Porã é a porta de entrada, Três Lagoas é a de saída”, avalia a aspirante a tenente da PM, Ana Karla Oliveira Veiga.

É por essa porta de entrada que outros números chamam a atenção. De janeiro a março de 2017, foram 140 pneus contrabandeados apreendidos. Todos vindos do Paraguai. No mesmo período, foram 201.094 pacotes de cigarros apreendidos, também oriundos do país vizinho. A PM não forneceu os dados do primeiro trimestre do ano anterior. Ainda foram apreendidos seis caminhões bitrem, duas caminhonetes e um veículo de passeio com cigarros, além de três carretas com pneus.

Outras apreensões também registraram alta nesse período. No primeiro trimestre de 2016, a PM apreendeu 0,570 quilo de cocaína. Neste ano, foram 0,987 quilo - alta de 73%. As armas de fogo tiveram um crescimento de 78,5% nas apreensões (14 em 2016 contra 25 em 2017). Já os veículos recuperados passaram de 53 para 62 (+17%) e os mandados de prisão cumpridos passaram de 54 no primeiro trimestre de 2016 para 78 no mesmo período de 2017 (alta de 44,4%) .

 

 


Sérgio Colacino