Três Lagoas

Boxes no Shopping Popular podem ser ocupados por ambulantes

Atualmente, 10 lojas estão fechadas no Camelódromo de Três Lagoas

18/07/2017 07:05


Dez boxes que estão fechados no Shopping Popular de Três Lagoas podem ser ocupados pelos vendedores ambulantes da cidade. Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Antônio Empeke Junior, dos 112 boxes existentes no local, 99 estão em plena atividade; três fechados por decisão judicial e 10 lacrados por não cumprirem o que está previsto no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado, em 2009, entre os lojistas, prefeitura e Ministério Público Estadual.

O secretário disse que já conversou com os promotores de Justiça sobre a ocupação dos boxes. Ele informou que a ideia é resolver dois problemas de uma única vez: a ocupação dos boxes fechados e a quantidade de ambulantes nas ruas.

Atualmente, segundo Empeke, existem mais de 70 ambulantes cadastrados na secretaria, porém, apenas 22 são de Três Lagoas. Os demais, de outras cidades.  Em março deste ano, a prefeitura delimitou o espaço na área central para os ambulantes trabalharem. Eles não podem comercializar qualquer tipo de produto dentro da área compreendida pela avenida Rosário Congro, e ruas Elmano Soares, João Carrato e Bruno Garcia, conforme previsto na Lei de nº 2.790.

Segundo o secretário, a Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas, no entanto, quer a ampliação desse espaço. “Os empresários querem que o espaço em que os ambulantes podem atuar seja estendido para as quatro avenidas. Estamos fazendo uma leitura de um novo projeto para mudar”, adiantou.

Empeke disse que solicitou um parecer do Ministério Público para a ocupação dos boxes que estão fechados no Camelódromo pelos ambulantes da cidade. “Assim a gente pode resolver os problemas dos ambulantes que estão hoje na área limite, bem como dos boxes fechados, isso em concordância com a Associação do Shopping Popular”, adiantou.

A presidente da Associação, Alessandra da Cruz Madia, disse que os lojistas concordam com a ocupação dos boxes fechados pelos ambulantes. “O importante é que esses boxes sejam abertos. Para a associação, isso é importante porque pode contribuir com a associação, que tem despesas para manter o Shopping Popular”, destacou .

Na semana passada, uma polêmica foi gerada a respeito da ocupação desses boxes. Vereadores apresentaram uma emenda para que esses espaços fossem ocupados por entidades filantrópicas. A emenda à Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO), porém, foi retirada de votação após a ida dos comerciantes do Shopping Popular à Câmara de Vereadores. A princípio, foram contra porque a proposta não tinha ficado clara.“Não somos contra, desde que tenha aprovação da maioria dos associados. Poupa Tempo, entidades, ambulantes, licitação, enfim o importante é a ocupação”, frisou.

LANCHONETE

Além dos boxes, o secretário disse que outra situação que pretende resolver é a da lanchonete fechada em anexo ao Shopping Popular. A ideia segundo ele, é abrir licitação para essa ocupação. A presidente do Camelódromo, no entanto, quer que o espaço seja administrado pela associação.

 


Ana Cristina Santos