Rádios On-line

André usa amizade com Dilma e Temer para agilizar R$ 1 bi junto ao BNDES

A contrapartida do Estado para o pacote de obras é de R$ 110 milhões

10 MAI 2013 - 10h:35Por Redação

O governador André Puccinelli afirmou ontem, durante a solenidade de lançamento do Livro Vozes das Artes Plásticas, que Mato Grosso do Sul é o primeiro Estado a apresentar os projetos completos para alocar recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Puccinelli disse que a presidente Dilma Rousseff assegurou apoio para agilizar a liberação do empréstimo de R$ 1,09 bilhão. O dinheiro será usado em obras viárias, construção e ampliação de unidades universitárias, construção de hospitais e apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APPs). A contrapartida do Estado para o pacote de obras é de R$ 110 milhões.

Segundo André Puccinelli, a documentação para liberação do empréstimo está de acordo com as exigências do BNDES e as adequações solicitadas já foram feitas. Um dos pedidos do Banco era que fosse feita a reapresentação e readequação do PAF - Processo Administrativo Fiscal. Os quesitos de competência do Estado, que são a apresentação do limite prudencial de gastos com pessoal e informe dos valores da arrecadação de ICMS, estão de acordo com as solicitações do BNDES. “Michel Temer me perguntou em que podia ajudar Mato Grosso do Sul e eu pedi que cuide da agilização da liberação do dinheiro, pois apresentei todos os documentos”, disse o governador.

As adequações feitas nos projetos ocorreram em decorrência do retorno que cada obra traria para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul, segundo Puccinelli. O governador lembrou ainda que de acordo com os números da economia do Estado, os prazos de carência e de diluição ao tempo para pagamento do dinheiro ao BNDES estão em discussão. “Os empréstimos têm um longo prazo para serem pagos”, disse. 

Os investimentos trarão para o Estado a incorporação de áreas destinadas à produção nas diferentes localidades. “Essa incorporação tem uma taxa de investimento de retorno muito superior ao próprio montante investido pelo estado através do empréstimo”, garantiu André. 

O governador citou alguns exemplos que estão no projeto, como a pavimentação da MS-040, que vai incorporar mais de 1 milhão de hectares de área ao setor produtivo, e a MS-180, que vai aliar mais de 300 mil hectares de área na produção do Estado. “A produção gerada e os tributos vistos e analisados pela STN [Secretaria do Tesouro Nacional] estão em conformidade. A STN é responsável pelo aumento do limite do endividamento dos 27 estados concedidos pelo governo federal, incluindo Mato Grosso do Sul”, afirmou Puccinelli. (E. C.) (Com informações do governo do Estado)

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13