Rádios On-line
11320
Nova Estrela 0603

Em reunião, Comitê de Mobilização no Combate à Dengue alerta para cuidados contra a proliferação de

20 SET 2012 - 14h:30Por Redação

 
O Comitê Estadual de Mobilização no Combate a Dengue debateu na manhã desta quarta-feira (19) a situação atual do Estado em relação à doença e as ações preventivas realizadas pelos órgãos de saúde estadual e municipais. A reunião contou com a presença de representantes da Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul, Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande, Laboratório Estadual Central (Lacen) e Defesa Civil.
 
O Comitê ressaltou novamente os cuidados que a população deve tomar para se evitar o aumento de locais usados como “criadouros”, pelo mosquito da dengue. De acordo com o balanço parcial de casos notificados pela Secretaria de Estado de Saúde, Mato Grosso do Sul registrou até a semana epidemiológica nº 37 (09 a 15 de setembro) 11.515 notificações, o que representa uma queda se comparado ao mesmo período em 2011, quando foram registradas 14.106 notificações. Somente na semana 37 foram registrados 19 casos de dengue, enquanto no mesmo período em 2011, foram registrados 65 casos.
 
Para o presidente do Comitê de Mobilização ao Combate à Dengue e secretário-adjunto de Estado de Saúde, Eugênio Martins de Barros, mesmo com o registro de queda de casos em comparação a 2011, os números ainda são preocupantes. O secretário ressalta que a população deve ficar atenta aos locais que podem acumular água e evitar jogar lixo em terrenos baldios. 
 

  “É imprescindível que a população tome estes cuidados. O estado já registra casos da Dengue tipo 4 e o combate a doença só será efetivo se evitarmos a proliferação dos vetores. O tempo seco registrado nos últimos dias no Estado pode ter reduzido a proliferação de mosquito em ambientes naturais, mas em compensação fez com que a população utilizasse mais água, neste caso armazenando-a em tanques, baldes, piscinas e outros locais domésticos. Também estamos entrando novamente no ciclo de chuvas e isso nos deixa mais preocupados em relação aos cuidados para se combater o mosquito Aedes Aegypty”, disse Eugênio. 
 
De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (Sesau), os bairros da Capital vêm apresentando índices de alerta para a predominância de depósitos de classificação A, para abastecimentos de água como caixas d’água, tambores, tonéis e poços; e D para depósitos passíveis de proteção como pneus e lixo. A SES/MS tem priorizado a aquisição de equipamentos e nas ações de combate à dengue neste segundo semestre. De acordo com a Secretaria, foram investidos cerca de R$ 1 milhão destinados à Coordenadoria de Controle de Vetores.
           
 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13