Rádios On-line
INVESTIGAÇÃO

'Eu não sabia', diz homem detido dando carona a assassinos do próprio sobrinho

Casado com a mãe de um dos presos em flagrante, o condutor do veículo afirmou que apenas atendeu um pedido da esposa ao ir buscar o enteado que havia acabado de cometer o crime

19 JUL 2021 - 19h:12Por Leonardo Guimarães

O tio do jovem assassinado a facadas na noite de sábado (17), em Paranaíba (MS), teria dado carona ao enteado e seus amigos sem saber que eles haviam acabado de matar o próprio sobrinho. Foi o que ele afirmou a policiais militares no momento da abordagem ao veículo em que ele carregava os acusados.

De acordo com o homem de 49 anos, o enteado, de 18 anos, que foi preso em flagrante pelo crime no veículo que era conduzido pelo padrasto, teria ligado para sua esposa, mãe do acusado, pedindo que o ele o buscasse na residência de amigos, porém não havia relatado o que teria acontecido. Junto com o jovem de 18 anos foram presas mais duas pessoas, um jovem de 19 e outro de 20 anos.

O nome de dois dos presos foi citado pela vítima minutos antes de morrer aos policiais e à própria mãe que chegou ao local, ao saber que o filho se encontrava ensanguentado em uma rua do bairro Jardim Redentora. O terceiro preso abrigava os dois citados pela vítima.  Diante dos fatos, o homem também foi conduzido ao distrito policial para esclarecimentos.

Toda teia de acontecimentos que circunda o crime chocou o município segue sendo investigada pela Polícia Civil.

O crime

Um homem de 28 anos foi morto a facadas na noite de sábado (17) em Paranaíba (MS). O caso ocorreu na rua  Macline de Queiroz, bairro Jardim Redentora, por volta das 23h50min. Três pessoas foram presas em flagrante, um jovem de 18 e dois comparsas de 19 e 20 anos.

De acordo com o boletim de ocorrência a Polícia Militar foi solicitada a comparecer no endereço, pois um homem estaria ensanguentado ao chão, próximo a um bar-conveniência. Ao chegar ao local a guarnição se deparou com a vítima agonizante, perfurada a golpes de faca porém ainda consciente. O homem afirmava ter sido ferido por duas pessoas, citando o primo, enteado de um tio, o jovem de 18 anos e um comparsa, citando o apelido do acusado. Minutos depois uma equipe do Corpo de Bombeiros efetuou o socorro, mas a vítima não resistiu aos ferimentos.

De posse das características repassadas, imediatamente os policiais militares saíram em patrulhamento pela região, avistando nos cruzamento das ruas Maria Leal de Oliveira e Cecílio Pereira um veículo Volkswagen Gol, de cor preta, em atitude suspeita. O carro foi abordado e o condutor identificado como padrasto de um dos acusados pela vítima minutos antes de morrer, o jovem de 18 anos, que estava no carro. Dentro do veículo também estavam o comparsa citado pela vítima e o proprietário da residência onde eles estavam após o crime.

O padrasto, condutor do veículo, disse aos policiais que seu enteado ligou para a mãe e pediu para que ele o buscasse naquele endereço, e ao chegar ao local o rapaz estava na companhia dos amigos. Ao ser informado do crime o homem disse que não sabia, e que, se soubesse, jamais teria ido buscar o enteado no local, pois a vítima era seu sobrinho.

Todos foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil, onde o caso foi registrado como “homicídio qualificado por motivo fútil ou homicídio qualificado por pela traição ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido”. Os autores foram presos em flagrante.

Deixe seu Comentário