Rádios On-line
9098
Nova Estrela 0603

Governador espera assinar até 31 de janeiro contratação de R$ 1,2 bi com o BNDES

O governador André Puccinelli espera assinar até o dia 31 de janeiro os contratos de financiamento com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para investimentos em infraestrutura rodoviária e em empreendimentos voltados para a

20 NOV 2012 - 15h:45Por Redação

O governador André Puccinelli espera assinar até o dia 31 de janeiro os contratos de financiamento com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para investimentos em infraestrutura rodoviária e em empreendimentos voltados para a educação, a saúde e para o fomento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs). O governador disse hoje (20) que está na expectativa de que o governo federal cumpra o prazo previsto de formalização dos contratos de dois grandes programas até o fim do mês de janeiro, o que representaria para Mato Grosso do Sul a captação de cerca de R$ 1,2 bilhão.

Puccinelli defende que a formalização dos contratos seja rápida e diz que Mato Grosso do Sul está apto a receber os recursos, porque está com as contas equilibradas, tanto que conseguiu reduzir o percentual de comprometimento da Receita Corrente Líquida com o pagamento da dívida.

“Pegamos [a administração] com 181% da Receita comprometida. Se fosse hoje, [esse comprometimento] seria de 114% de comprometimento. Somos um estado solvente, um estado empreendedor. Se a [presidente] Dilma concretizar, como pretende, até 31 de janeiro de 2013 o Pro Investe - que vai ser dado aos estados [como empréstimo] a juros - e mais o BNDES Estados, seremos o governador que fez na construção de asfalto a soma de todos os outros, assim como recapeamentos”, disse André.

Conforme o governador, em recentes viagens a Brasília ele reforçou junto ao secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, e ao secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, que Mato Grosso do Sul “confia na palavra da presidente Dilma de que assinará os contratos, pela solvência em que o estado se encontra, até 31 de janeiro”.

Do total de recursos, em torno de R$ 1,090 bilhão serão repassados pelo banco e o Estado vai aplicar mais um montante de contrapartida, totalizando, conforme Puccinelli, um pouco  menos de R$ 1,250 bilhão.

Entre as ações previstas para serem executadas com esses recursos estão a unidade da UEMS em Campo Grande, laboratórios para criar a faculdade de medicina da UEMS em Três Lagoas e mais dez arranjos produtivos locais, sendo que estes últimos se encaixam diretamente no contexto social - o “S” da sigla do BNDES, que será o agente financeiro. Também estão previstos grandes investimentos no setor de transporte.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13