Rádios On-line
8937
JORNAL DO POVO MOBILE

Grupo de Choro resgata músicas apreendidas na ditadura

Obra ?Descendo Sarrafo? traz coletânea do compositor Amintas José da Costa

4 AGO 2012 - 15h:00Por Redação

 O grupo de Choro “Opus Trio” lança hoje, em Campo Grande, o CD “Descendo o Sarrafo”, coletânea do compositor Amintas José da Costa, o Sarrafo, cujas obras foram apreendidas em 1969, época conhecida como “Anos de Chumbo” – período mais rígido e violento da ditadura militar no Brasil.

O lançamento será realizado pela Fundação Municipal de Cultura de Campo Grande, às 20h, no Teatro Aracy Balabarian e faz parte do projeto contemplado pelo Programa Petrobras Cultural, por meio do Programa Nacional de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet) do governo federal.

Conforme informações da fundação, o grupo é formado por Eduardo Martinelli (violões), Ivan Cruz (bandolim) e Philip Andara (flauta), que desenvolvem um trabalho de resgate e registro do choro, pesquisando e interpretando as composições de Sarrafo, que completou 93 anos em 2012.

Sarrafo, compositor e saxofonista, conviveu com grandes nomes da música brasileira como Pixinguinha e Guerra Peixe. Trabalhou em cassinos, rádios e posteriormente na televisão, veí­culos que à época tinham orquestras próprias. Parte da história dele está na faixa bônus da gravação narrada pelo próprio autor, além de casos peculiares descritos no encarte do CD como a passagem de Sarrafo pela Força Pública de Alagoas, quando viu a cabeça do cangaceiro Lampião em uma salva de prata, e o fato de não ter ido aos campos de batalha da Segunda Guerra Mundial, uma vez que era músico e estava ajudando na formação de novas tropas.

PARTICIPAÇÕES

O CD, que traz arranjos elaborados para diversas formações instrumentais criados a partir das partituras originais, ainda conta com a participação de convidados como o

Quarteto Toccata (violões), a flautista suíça e pesquisadora da música brasileira, Myrian Dickinson; do bandolinista português, Norberto Cruz; da Filarmônica Jovem do Pantanal; dos violonistas Plínio Fernandes e Carlos Alfeu; do violinista Newton Reis e do próprio compositor, que acompanhou a produção e participa do lançamento da obra.

O projeto propiciou um importante intercâmbio cultural, com a integração de Campo Grande à cidade histórica de Itanhaém, litoral sul do Estado de São Paulo, cidade na qual reside o compositor. “Esse encontro surgiu através dos laços de amizade com o maestro Martinelli, que já morou aqui [Itanhaém] e está sempre em contato conosco. O resultado é o resgate de todo esse material que poderia ter simplesmente se perdido na história”, considera Sarrafo. 

Atualmente, compõe letras de músicas nas quais faz homenagens a pessoas importantes para ele, como a mãe, os professores e a cidade que o acolheu há 30 anos - Itanhaém (SP).

Segundo a Fundação de Cultura de Campo Grande, o título da obra “Descendo Sarrafo” é uma alusão ao apelido do compositor, que também batizou as músicas que fazem referência a madeiras. Assim, surgiram “Tronco de Ipê”, “É Lenha”, “Casca de Pau”, “Madeira de Dar em Doido”, “Pó de Serra”, entre outras.

O lançamento terá a participação especial do Coro do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFMS), das crianças da Orquestra Infantil da Fundação Ueze Zahran, preparados pela professora Cinara Baccilli.

 

Deixe seu Comentário

Pantanal Mobile

TVC Canal 13

JORNAL DO POVO
TVC