Rádios On-line
Caminhão de Prêmios Urna Interna
SAúDE

Procura por vacina contra febre amarela dobra em postos de saúde

Moradores entraram em alerta após um surto da doença causar 30 mortes em Minas Gerais e duas no interior paulista neste ano

22 JAN 2017 - 12h:09Por Kelly Martins

A preocupação com a febre amarela está provocando uma corrida aos postos de saúde de Três Lagoas. A procura de pacientes pela vacina aumentou muito nos últimos dias e, praticamente, dobrou, segundo o Setor de Imunizações da Secretaria de Saúde, se comparado com os meses anteriores. Tanto que quatro mil doses da vacina já serão solicitadas pela pasta nesta semana ao Ministério da Saúde. 

“Normalmente, pedimos duas mil doses por mês, mas nesse momento já não é mais suficiente para atender a população porque muitas pessoas estão procurando as unidades de saúde e as vacinas podem esgotar. Será necessário o dobro de doses somente neste mês”, explicou a técnica de imunização da secretaria, Joicieli da Silva. 

Os médicos alertam, mas dizem que não há motivos para a corrida atrás da vacina nos postos, já que há mais de cinco anos não houve nenhum caso registrado no município. De acordo com Joicieli, em 2015 mais de 8,7 mil pessoas se vacinaram contra a febre amarela em Três Lagoas. 

No ano passado, o número subiu e 10.993 doses foram aplicadas. Por causa de casos registrados em outros Estados, quase mil pessoas já se vacinaram nos primeiros dias de 2017 na cidade. 

Moradores entraram em alerta após um surto da doença causar 30 mortes em Minas Gerais e duas no interior paulista - em São José do Rio Preto e em Ribeirão Preto, neste ano. 
Especialistas garantem que somente as pessoas que forem para as áreas de risco é que devem se vacinar. Ao contrário de outras doenças, a febre amarela pode ser evitada com a vacina.

IMUNIZAÇÃO

O combate da febre amarela faz parte do calendário de vacinação do município. A vacina é de graça e está disponível em todas as unidades básicas de saúde. Conforme o Ministério da Saúde, duas doses da vacina valem por toda a vida e devem ser aplicas aos 9 meses e aos 4 anos de idade. Já em adultos, com um intervalo de 10 anos entre as doses. A orientação é para que todas as pessoas que nunca tomaram a vacina ou tomaram há mais de dez anos procurem um posto de saúde para se imunizar. 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não recomenda a vacina para pessoas com doenças como câncer e HIV, que têm baixa imunidade, mulheres grávidas e nem para quem tem mais de 60 anos. 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13