Rádios On-line
REAÇÃO

São Paulo luta, e arranca empate da Chapecoense

Tricolor paulista perdia por 2 a 0 quando reagiu e chegou ao empate

1 AGO 2016 - 10h:20Por Redação

A volta para casa após 21 dias longe do Morumbi não foi com o placar que o Tricolor desejava, mas mostrou mais uma vez o espírito aguerrido que tem marcado a equipe na temporada! Em duelo emocionante e com mais um show da torcida nas arquibancadas – que registraram um novo recorde de público no Campeonato Brasileiro de 2016 com mais de 54 mil pagantes -, o São Paulo buscou o empate com a Chapecoense neste domingo (31) por 2 a 2 após ver os visitantes abrirem dois gols de vantagem na primeira etapa.

O peruano Cueva, com dois gols, comandou a reação do time são-paulino no confronto válido pela 17ª rodada da competição nacional. Já Kempes e Thiego anotaram os gols dos visitantes, que largaram na frente com um início de jogo surpreendente: balançaram as redes duas vezes antes dos 15 minutos. A força do torcedor são-paulino foi fundamental para contagiar o time, que com o ponto somado se manteve na zona intermediária da tabela, agora com 23 pontos. Na próxima quinta-feira (4), o Tricolor receberá o Atlético-MG com a missão de confirmar que despertou e assim retomar o caminho das vitórias.

Para encarar os catarinenses, Lucas Fernandes, Breno, Wellington e Ytalo (cirurgias de ligamento cruzado), Mateus Caramelo (estiramento na coxa direita), Renan Ribeiro (lombalgia), Gilberto (entorse no tornozelo esquerdo) e Rodrigo Caio (Seleção Olímpica), além de Mena (suspenso), não estavam à disposição para o confronto deste final de semana. O lateral-direito Julio Buffarini, recém-contratado, aguarda a regularização dos documentos para ficar à disposição de Patón.

Dessa forma, com a volta de Hudson – cumpriu suspensão -, o técnico Edgardo Bauza escalou o time com Denis; Bruno, Maicon, Lugano e Carlinhos; Hudson, Thiago Mendes e Cueva; Kelvin, Michel Bastos e Centurión. Já os visitantes começaram a partida com Danilo; Gimenez, Willian Thiego, Filipe Machado e Dener; Josimar, Cleber Santana, Gil e Martinuccio; Hyoran e Kempes. Quando a bola rolou, a torcida tricolor jogou junto com o seu time e tratou de fazer uma grande festa nas arquibancadas.

No entanto, o São Paulo não teve tempo para aproveitar o incentivo do torcedor e sofreu o primeiro gol com apenas cinco minutos: Martinuccio recebeu dentro da área, descolou o cruzamento e encontrou Kempes, que escorou de cabeça para as redes: 1 a 0. Sem acusar o golpe, os anfitriões partiram para cima e quase deixaram tudo igual dois minutos depois: Centurión aproveitou o passe errado na defesa da Chapecoense, invadiu a área, bateu cruzado e exigiu boa defesa de Danilo.

Os paulistas esboçavam uma reação, quando aos 11 minutos sofreram o segundo gol. Cleber Santana cobrou falta em direção à área, Thiego subiu mais que a zaga, desviou de cabeça e amplia a vantagem do adversário: 2 a 0. Daí em diante, o time são-paulino encontrou inúmeras oportunidades para chegar ao do rival e tentar descontar. Somente na reta final da primeira etapa, os mandantes levaram perigo novamente e criaram chances reais para balançar as redes. Aos 29 minutos, Maicon cobrou falta colocada, a bola passou pela barreira, e Danilo espalmou para longe. O lance do defensor animou a equipe, que pressionou até o intervalo.

A torcida percebeu o bom momento e também cresceu. O Tricolor ficava mais tempo no campo de ataque e tentava chegar pelas pontas. Aos 35, Centurión dominou na entrada da área, saiu da marcação, bateu de perna direita, e a bola passou à direita de Danilo. No minuto seguinte, Centurión fez o pivô na entrada da área, rolou para Thiago Mendes, que soltou a bomba por cima da meta. Na última tentativa de marcar ainda no primeiro tempo, o São Paulo contou com um chute perigoso de Kelvin, que aos 45 minutos mostrou habilidade, se livrou da marcação e bateu rasteiro: o arqueiro defendeu.

Na volta para o segundo tempo, para tentar dar mais opções ofensivas ao time, Bauza apostou na entrada do estreante Chavez, que ocupou a vaga do volante Thiago Mendes. Agudo, o São Paulo acuou os visitantes e manteve a blitz do final da primeira etapa. Aos oito minutos, Centurión fez jogada individual dentro da área, saiu do marcador, arriscou o chute, e Danilo fez boa defesa. Aos 15, para dar mais mobilidade pelos lados do campo, Patón promoveu a entrada do jovem Luiz Araújo, que herdou o lugar de Carlinhos – Michel Bastos foi deslocado para a lateral.

As alterações do treinador argentino funcionaram, e o Tricolor conseguiu descontar aos 16: Centurión recebeu dentro da área, rolou para Cueva que saiu rapidamente da marcação e bateu rasteiro. Belo gol do peruano! 2 a 1! O gol contagiou o torcedor nas arquibancadas e deu ânimo extra aos mandantes que por pouco não deixaram tudo igual aos 18 minutos: Luiz Araújo avançou pela esquerda, ganhou na velocidade, invadiu a área, bateu rasteiro, e Danilo fez boa defesa.

O time são-paulino era superior, mandava no jogo e tinha quatro atacantes em campo para pressionar e buscar as investidas. E foi assim, com muita entrega e sem desistir, que os paulistas arrancaram o empate aos 39 minutos!  Bruno levantou a bola na área, Josimar tocou com a mão, e o árbitro marcou pênalti! Com categoria, Cueva deslocou o arqueiro e deixou tudo igual! 2 a 2 e muita festa da torcida, que explodiu no Morumbi e empurrou a equipe em busca da virada. O Tricolor lutou para virar o marcador, se mandou para o ataque, mas as redes não balançaram novamente: 2 a 2.

 

Deixe seu Comentário