Rádios On-line

Saúde reforçará o uso de preservativos durante a Campanha de Carnaval de 2013 em MS

O Ministério da Saúde tem investido na ampliação do acesso à testagem

5 FEV 2013 - 11h:37Por Redação

A Campanha do Carnaval 2013 realizada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Mato Grosso do Sul será focada na campanha de prevenção de DST/HIV/Aids com o objetivo de reforçar o uso de preservativos. Com o tema “A vida é melhor sem Aids – Proteja-se, use sempre camisinha” a campanha seguirá o modelo do Ministério da Saúde, considerando que há uma tendência de distanciamento e de negação da população em relação às DST e ao HIV, o que costuma afatar as pessoas de comportamentos seguros de prevenção.

Para este ano será ampliada a divulgação da Campanha através de mídia exterior e urbana como: outdoor, busdoor, taxidoor, esteiras de aeroportos e abrigos de ônibus, ficando a cargo dos Estados e municípios realizarem a reprodução dos informativos. Em Mato Grosso do Sul a campanha será realizada através da distribuição de 30 faixas de lona, sendo duas para cada município com maior incidência de Aids ou município de turismo. Também serão confeccionados 150 mil abanicos para serem distribuídos, além da veiculação de spots e jingles com 912 inserções em rádios entre os dias 6 e 13 de fevereiro.

Os municípios que recebem incentivo financeiro poderão organizar suas campanhas. São eles: Campo Grande, Aquidauana, Corumbá, Coxim, Jardim, Naviraí, Paranaíba, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas. A Secretaria de Estado de Saúde disponibiliza todos os meses, independente da época do carnaval, 744.624 camisinhas para os 78 municípios e mais 129 mil para órgãos e associações como: Agepen, Hemosul, Associação das Travestis de Mato Grosso do Sul, MST, Hospital Regional, Departamento de Saúde Indígena, Saúde dos Adolescentes e SEST/ SENAT.

Os investimentos para a campanha de 2013 também incentiva a testagem nos estados e municípios, por meio da ação “Fique Sabendo” – estratégia de mobilização direcionada à ampliação do diagnóstico precoce de aids. A meta é possibilitar às pessoas que vivem com HIV e não sabem disso, público estimado em 150 mil, façam o teste.

O Ministério da Saúde tem investido na ampliação do acesso à testagem. De 2005 - quando o teste rápido foi implementado no país - a 2012, houve aumento de 430% no número de testes ofertados (de 528 mil para 2,8 milhões). Com apenas uma gota de sangue, o resultado do teste sai em 30 minutos e a pessoa recebe aconselhamento antes e depois do exame.

O exame é 100% nacional desde 2008, produzido pela Biomanguinhos/Fiocruz e pela Universidade Federal do Espírito Santo. Nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs), a entrega do resultado é sigilosa e, caso o resultado final der positivo, a pessoa é encaminhada para tratamento nos serviços de referência.
 
O Fique Sabendo atua em duas frentes: em Unidades Básicas de Saúde, CTAs e ambulatórios ou em locais como praças, feiras e eventos específicos. Além da realização de testes rápidos, o serviço distribui insumos para prevenção, como camisinhas, gel lubrificante e material informativo sobre HIV/aids, DSTs e hepatites virais.
 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13