Rádios On-line
AMOR QUE NÃO SE MEDE

'Dói demais', diz filha de Ismail em postagem homenageando pai

Em conversa com o JPNEWS, Jeinifer Gaspar fala sobre como ela e o irmão estão tentando superar o momento, relembra apelido de infância e conta que Ismail Gaspar era sua "fortaleza"

18 JAN 2019 - 17h:09Por Leonardo Guimarães

Jeinifer Oliveira do Carmo Gaspar, 26 anos, auxiliar de saúde bucal e filha de Ismail Gaspar da Silva, falecido na tarde de quarta-feira (16) em Paranaíba (MS), fez uma postagem emocionada em sua rede social em homenagem ao “Elegância”, como também era conhecido o vendedor da loja de materiais para construção Matecsul. O homem, de 48 anos, foi encontrado já sem vida por um amigo em sua residência na rua Frei Pedro, no Centro da cidade.

Em sua postagem, a jovem relata a dor da perda e afirma estar sendo “difícil até de respirar”. Jheni, como é conhecida, usou como ilustração uma foto onde ela de forma descontraída aparece ao fundo enquanto Ismail faz uma selfie. Ela escreveu acreditar que, "de agora para frente, seguirá sendo cuidada pelo pai, como ele sempre fez."

“Meu Pai. Dói muito, dói demais, fica difícil até respirar. Sei que vai estar cuidando de mim como sempre fez, como nessa foto, mesmo q eu não estivesse vendo, você estava ali pra mim, até quando eu menos merecia. Sempre soube que este momento poderia chegar, mas nao tao cedo e sei que nada que pudesse fazer iria me preparar para um sofrimento tão grande”, escreveu.

Ela também afirma que este é o dia mais triste de sua vida. “A partir de hoje o dia 16/01 será o dia mais triste e dolorido que tive em toda minha vida, Não sei como vai ser o dia amanhã, sei que agora me sinto sem forças, e sei que será triste porque você não está mais entre nós. Hoje vesti o luto por você, MEU PAI, e este será um luto eterno! Vá com Deus!”, postou.

Ao encerrar o texto, Jeinifer diz que seu pai será carinhosamente lembrado como o “Elegância” da Matecsul. O termo elegância era utilizado por Ismail para se referir a clientes, amigos e familiares.

“Hoje vesti o luto por você, MEU PAI, e este será um luto eterno! Vá com Deus! Voce sempre será lembrado, o eterno Elegância da Matecsul, tao querido, tao feliz, tao prestativo. Sentirei muita falta de escutar sua voz me chamando de meu anjo, agora você é o MEU ANJO, saudades eternas. Sua filha, Canela.”, encerrou.

Em conversa com o JPNEWS, ela revelou que “Canela” era uma apelido de infância dado a ela pelo pai e que, nas horas de carinho, era chamada de “Meu Anjo” pelo vendedor. Ela contou como estão sendo os dias e fala sobre o apoio que tem recebido.

“Os dias estão sendo bem difíceis, ele era a minha fortaleza, não esperava que partiria tão cedo, estou sem chão. Em relação às demonstrações de carinho, me conforta bastante, ver o quanto ele era querido, e que fará falta a muitas pessoas, ele escreveu a história dele aqui, e nunca será esquecido.”, contou.

Jheni também contou como o irmão Lucas Oliveira Carmo Gaspar, 19 anos, estudante, está encarando o momento difícil.

“Ele está em desespero, meu pai era tudo que nos dois tínhamos, e sem ele nos dois estamos nos sentindo perdidos, temos o apoio de amigos e familiares, mas nada se compara a nosso pai.”, afirmou.

Diversas postagens de clientes, amigos e familiares tem tomado conta das redes sociais em Paranaíba nos últimos dias, em homenagem a Ismail Gaspar.

O caso

De acordo com o registro policial, Ismail foi encontrado caído próximo ao banheiro da casa onde morava já sem vida pela equipe policial que esteve no local, após ser acionada por um amigo que estranhou o não retorno do vendedor para a empresa onde trabalhava após o almoço e se dirigiu até a residência em busca de informações.

Segundo pessoas próximas ao vendedor, ele não apresentava problemas de saúde, porém, nos últimos dias, havia se sentido mal e reclamado de dores.

O caso foi registrado como morte a esclarecer na Delegacia de Polícia Civil no município.

 

Deixe seu Comentário