Rádios On-line
PARANAÍBA

Estado recorre da decisão de internar menor que mora em Praça

27 JUN 2017 - 09h:49Por Talita Matsushita

Decisão do juiz Plácido de Souza Neto obriga o Estado a internar compulsoriamente um garoto de 14 anos de idade, usuário de drogas, que há mais de um mês mora na Praça da Paz, no Centro de Paranaíba; todo tratamento está orçado em R$ 17 mil, numa clínica de recuperação em Minas Gerais. A última manifestação do processo foi na semana passada.

O caso foi parar no Tribunal de Justiça, pois o Estado recorreu da decisão, alegando que não houve tempo hábil para cumprir a decisão do processo, que teve início em 9 de fevereiro deste ano. Além disso, segundo o Estado, em suas alegações, o valor do tratamento causaria dano ao erário.

Segundo a promotora Juliana Nonato, titular da Promotoria de Justiça de Infância e Juventude, o caso do garoto já vem sendo acompanhado há bastante tempo, e afirma que no âmbito judicial não há o que ser feito, somente aguardar o caso ser julgado no TJ, que não tem prazo para proferir decisão.

O menor além de usuário de drogas é infrator e possui mais de 30 passagens pela polícia, por furto, tráfico de drogas, perturbação de tranquilidade, e portar drogas para uso pessoal. Na última semana a Polícia Civil fez uma ação de retirar os pertences do menor da Praça, com o intuito dele sair de lá e voltar para casa, porém ele ganhou novamente itens como cobertor, e travesseiro e não saiu do local.

O caso

Um adolescente de 14 anos de idade tem preocupado moradores das imediações da Praça da Paz, no Centro de Paranaíba. Usuário de drogas, ele saiu de casa após desentendimentos com o padrasto justamente por conta do vício. Os vizinhos não reclamam que o garoto incomode, porém temem que o tráfico de drogas aumente na região.

Procurado pela reportagem o menor foi agressivo e pediu para não ser incomodado e recusou ajuda. "Se vocês não saírem eu vou bater em todo mundo", disse ele, enquanto ainda estava deitado no chão da Praça, com apenas um travesseiro e uma coberta que o cobria dos pés até a sua cabeça.

Já sua mãe, uma mulher de 29 anos, dona de casa, que mora há duas quadras da praça onde o filho está, quando foi procurada para falar da situação do garoto fez um apelo para que as autoridades posam ajudá-la com a internação do seu filho, que segundo ela é usuário de drogas há pelo menos dois anos e desde que saiu de casa tem se envolvido com o traficantes.

A última ação da mãe foi procurar o Ministério Público para conseguir uma vaga para o filho em um clínica, ela até chegou conseguir a internação em uma clínica em Minas Gerais, mas quando ele iria ser levado foi informada que o dinheiro foi bloqueado pelo Estado.

Deixe seu Comentário