Rádios On-line
TERROR EM CASA

Filha jogou arma de criminoso na rua para tentar salvar mãe

Antes de ser esfaqueada Valéria lutou com o assassino que deixou o revólver cair

15 MAI 2020 - 18h:04Por Leonardo Guimarães

A filha da vítima do feminicídio ocorrido em Paranaíba (MS) na tarde de quinta-feira (14) teria conseguido jogar a arma do assassino na rua, antes que a mãe, Valéria Ribeiro, 30 anos, fosse morta a golpes de faca após o criminoso também efetuar disparos. Sérgio Silva matou a ex-companheira em sua residência, no bairro Santa Lúcia, por não aceitar o fim do relacionamento. A informação foi revelada pela delegada titular do caso, Eva Maira Cogo, em entrevista ao Jornal do Povo, da Rádio Cultura FM Paranaíba 106.3MHz.

Segundo Eva, as primeiras informações afirmam que a vítima teria entrado em luta corporal com o assassino, três disparos foram efetuados e, ao soltar a arma, a filha, de 12 anos, conseguiu pegar o revolver calibre 38 e jogar para o lado de fora da casa. O criminoso havia trancado o portão após conseguir entrar no local.

Depois que a arma foi jogada na calçada Sérgio foi até a cozinha da residência, pegou uma faca e atacou a ex-companheira na frente da garota. Valéria foi levada ao hospital ainda com vida, sofreu três paradas respiratórias no caminho e não resistiu aos ferimentos. Sérgio deu facadas em seu próprio abdômen e pediu para que policiais o matassem. Ele foi preso e levado ao hospital.

Ainda de acordo com Eva, a criança afirmou que o homem já havia invadido a casa anteriormente, pulando o portão para tentar reatar o relacionamento com a mãe. Após a invasão a vítima contratou um pedreiro para fechar a parte de cima do portão. A delegada acredita que o fato de Valéria ter bloqueado o ex-namorado em uma rede social tenha sido o estopim para o crime. 

Ouça a íntegra da entrevista e entenda como foi o crime.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13