Rádios On-line
PARANAÍBA

Homem morre após sessão de tortura e irmã aponta vingança do ex-marido

Heddy Flabbyo foi morto com requintes de crueldade, estava amarrado, pendurado em uma árvore e foi morto a pauladas, pedradas e chutes

14 AGO 2017 - 08h:53Por Talita Matsushita

Paranaíba se chocou com um crime bárbaro que ocorreu no dia 6 de agosto. A primeira notícia era de que um homem havia sido sequestrado, no final da tarde de sábado (5) por quatro homens. No domingo (6) a notícia que a família temia receber chegou, Heddy Flabbyo Alcade, 36 anos havia sido morto, mas antes disso torturado. O motivo da morte seria uma dívida financeira. “Foi um fato muito grave, que chocou e impressionou a cidade”, definiu o delegado Wallace Borges.

O corpo dele foi encontrado em uma mata nas proximidades da cidade, ele havia sido morto com requintes de crueldade, estava amarrado, pendurado em uma árvore e foi morto a pauladas, pedradas e chutes. “Os investigadores ficaram impressionados pela forma que encontraram a vítima, percebeu-se que houve sessão de tortura e ela pode ter morrido decorrente destas agressões. “Ficamos impressionados pela forma que foi cometido e como agiram com crueldade para tirar uma vida”, explicou.

Conforme o Setor de Investigações Gerais, quatro pessoas foram presas, Henrique Lopes de Lima, 19 anos, Henrique Ferreira Almeida 18 anos, Ueder Ferreira Barbosa, 19 anos, conhecido como Gaguinho e James Henrique Cicero de Oliveira, 40 anos.

O crime teria ocorrido por conta de uma dívida que Eddy Flabbyo com James Henrique, que é seu ex-cunhado, porém, Krisllian Keila Alcalde, 39 anos, irmã de Eddy Flabbyo, diz que o motivo seria vingança por não aceitar o fim do relacionamento deles.

A mulher contou que James havia ameaçado além dela, o pai e o irmão. Krisllian conta que diversas vezes o homem a perseguiu. O relacionamento terminou no mês de dezembro. “Ele me ameaçava de morte, falava que iria matar meu pai e meu irmão caso eu separasse dele”, disse.

Ela contou ainda que no mês de dezembro James recebeu um acerto de uma empresa que trabalhava, e gastou parte do dinheiro com drogas, foi quando eles se separaram. “Ele foi embora, ninguém expulsou ele, ninguém maltratou. Foi embora por que quis. Depois que o dinheiro acabou ele quis reatar e eu neguei, disse que queria o divórcio, cheguei a assinar os papéis, mas ele sempre me ameaçando, dizendo que isso não ficaria assim”, relatou.

Krisllian também disse que ela recebia ameaças pelo telefone e que flagrou ele rondando sua casa durante a madrugada. Questionada sobre denunciar o ex-marido, ela afirmou que foi desencorajada pelos familiares, que a aconselhavam a não procurar a polícia. “Deixa quieto, se você fizer ele vai se encorajar, vai ficar furioso”, diziam os parentes para a mulher. “Nunca imaginei que ele teria coragem de fazer uma coisa dessas”, se referiu ao homicídio do irmão.

Emocionada, ela lembra que há dois meses James havia parado com as ameaças e iniciou um novo relacionamento e por isso, ela pensou que estivesse tudo bem. Recentemente ela postou em uma rede social fotos da comemoração da vitória do time de Paranaíba numa competição de futebol de salão e acredita que a postagem pode ter sido o estopim para motivar o crime.

“Minha felicidade deve ter incomodado ele de tal forma que em menos de 15 dias meu irmão foi sequestrado. Quando chegaram na minha casa falando que tinham raptado ele eu disse que seria o James e ninguém acreditou em mim”, lembrou com lágrimas nos olhos.

Deixe seu Comentário