Rádios On-line
JULGAMENTO

Justiça condena trio que matou vendedor em 2005

Penas somadas passam de 71 anos; defesa aponta suposta falha do Ministério Público

17 MAR 2018 - 08h:59Por Talita Matsushita

Após julgamento realizado no Fórum de Três Lagoas, quarta-feira (14), em que o pecuarista e ex-bicheiro Anário Mariano Filho, Ednaldo Rocha Alves e Lindomar José de Souza foram condenados pelo assassinato de Maurício Rodrigues Oliveira a mais de 71 anos de prisão, em penas somadas, a defesa anunciou que irá recorrer da decisão, contra acusações do Ministério Público.

Segundo Fidelcino Ferreira de Moraes, advogado de Lindomar, o julgamento ocorreu após atuação do Ministério Público com base em apenas uma testemunha.

“O Ministério Público se baseou numa testemunha que ninguém conhecia e que apareceu na promotoria, sem passar pela polícia nem por ninguém, e que contou uma história absurda. Não foi ouvida em juízo, nem em plenário”, disse.

Fidelcino afirmou que, legalmente, a promotora, Ana Cristina Carneiro Dias, não poderia servir de testemunha porque ela tinha participado da investigação, inclusive colhendo depoimentos, na época.

O recurso de apelação, segundo o advogado, será apresentado em cinco dias ao Tribunal de Justiça do Estado, com pedido de anulação do júri.

O promotor do caso, Moisés Cassaroto, disse, por telefone que a acusação se baseou no depoimento de mais de 20 pessoas. “Toda prova dos autos foi debatida em plenário. O júri é soberano”, afirmou.

Ana Cristina disse que o juiz aceitou a participação dela, porém o Tribunal de Justiça é quem vai analisar se pode ou não.

Maurício foi morto com 10 tiros, dia 27 de maio de 2005, no bairro Vila Nova, em Três Lagoas, por Ednaldo e Lindomar a mando de Anário. O trio morava em Paranaíba na época. Anário era dono de bancas de jogo do bicho e o desentendimento com Maurício teria começado com o sumiço de uma aposta de R$ 2,5 mil.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13