Rádios On-line
PREOCUPAÇÃO

Mortes de macacos em MG e MS preocupam paranaibenses

Casos confirmados e suspeitos de febre amarela no Estado vizinho e cidades próximas a Paranaíba deixam moradores em alerta

23 JAN 2018 - 21h:39Por Leonardo Guimarães

Macacos encontrados mortos nos Estados de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul tem preocupado os moradores de Paranaíba (MS), na Costa-Leste do Estado. O município, que  faz divisa com o Estado mineiro, recebe diariamente um fluxo considerável de pessoas que atravessam a divisa par estudar, fazer compras, visitar familiares e até mesmo trabalhar.

O governo de Minas Gerais atualizou, na sexta-feira (12), os casos de febre amarela na Zona da Mata mineira. Em entrevista coletiva realizada na Superintendência Regional de Saúde em Juiz de Fora, as autoridades confirmaram casos de mortes por febre amarela em macacos em diversas cidades do Estado.

Foram 460 epizootias, que são as mortes de macacos, em 114 municípios em Minas Gerais. Em 21 cidades foram confirmadas a febre amarela como a causa, de acordo com os dados de julho de 2017 até o momento.

Já em Mato Grosso do Sul, um macaco foi encontrado morto em uma fazenda que fica às margens da BR-267, entre Rio Brilhante e Maracaju. O animal foi recolhido e levado para exames em Campo Grande para verificar a causa da morte. O caso ocorreu na noite de sábado (20).

Na cidade de Três Lagoas, distante 178 Km de Paranaíba, uma macaca da espécie Bugio foi encontrada com muitos ferimentos por moradores de uma propriedade rural, a aproximadamente 15 quilômetros de Três Lagoas, na região da Ilha Comprida, na tarde desta terça-feira (23). Um deles acionou a Polícia Militar Ambiental (PMA) de Três Lagoas, que foi ao local com uma equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Segundo a PMA, animais da espécie são comuns na região. Na propriedade rural, a equipe constatou que o macaco estava com diversas lesões pelo corpo.

Em conversa com o JPNEWS, pessoas que residem em Paranaíba relataram preocupação com os casos em Estados e cidades vizinhas. “Eu morro de medo. Mesmo tendo me vacinado, pois conheço pessoas e tenho parentes que não se vacinaram ainda. A gente fica com medo, pois é aqui do lado da nossa cidade”, disse Nilza Pereira dos Santos.

Para Odilon Gonçalves, os casos assustam e refletem a falta de preparo do poder público. “Depois de muitos anos estamos vendo essa doença voltar de forma assustadora. É preocupante”, contou.

Em alguns casos, pessoas deixaram de visitar parentes em regiões onde há confirmação da morte de macacos pela doença. “Deixei de visitar familiares em Juiz de Fora (MG), depois que soube da confirmação da morte de macacos na cidade por febre amarela. Eu tive medo, e tenho medo de que pessoas infectadas venham a Paranaíba”, afirmou Vera Lucia Aparecida.

Até o momento não há registro de casos confirmados ou suspeitos da doença no município de Paranaíba, seja em pessoas ou animais.

Deixe seu Comentário