Rádios On-line
ALERTA

Município pode ter mortes e surto de pólio e sarampo, afirma enfermeira

A enfermeira afirma que um dos fatores para baixa procura são as chamadas fake News

31 AGO 2018 - 09h:11Por Lucas dos Anjos

Mais de 300 crianças ainda não foram imunizadas contra a poliomielite e o sarampo em Paranaíba (MS). Nesta sexta-feira (31) será último dia da campanha nacional de imunização, porém, no município haverá no sábado (1º) o terceiro dia “D” de vacinação que acontecerá entre 12h e 16h.

“Vamos mais uma vez tomar medidas para que os pais tenham meios de levarem os filhos para vacinar, não é mais desculpa de horário, de falta de tempo, porque as unidades vão estar abertas na parte da tarde no sábado”, cobrou a coordenadora de imunização Vânia Zangrossi.

De acordo com Zangrossi, caso o município não consiga bater a meta nestes dois dias o risco de haver um surto de sarampo e pólio em 2019 é grande. “Não é descartada a possibilidade de um surto em Paranaíba e as duas doenças causam morte, mesmo sabendo disso eu não consigo entender porque os pais não levam as crianças para vacinar, eles estão esperando as crianças pegarem o cartão e irem sozinhas as unidades de saúde?”, questionou.

Em Mato Grosso do Sul o Ministério Brasileiro da Saúde já registrou três casos da doença, além de suspeitas em Estados vizinhos. “As pessoas se movimentam muito no país, se houver um surto ele chega de uma ponta na outra muito rápido e a única forma de prevenir é a imunização”, assinala Zangrossi.
Para a enfermeira, que também é mãe, vacinar o filho é um ato de amor e responsabilidade com a criança. “Eu vacinei minha filha porque a amo, vacinação é um ato de amor, de cuidado, de responsabilidade, porque se eu não vacino meu filho eu o deixo correndo riscos de ficar doente pesquisem na internet o quanto é triste uma criança com essas doenças”, explica.

A Secretaria de Saúde do município montou uma força tarefa entre os colaboradores do setor e os agentes de saúde, por exemplo, foram em cada residência que compreende a área deles pedindo aos pais que levem os filhos nas unidades. Enfermeiras dos postinhos também aplicaram doses na residência das crianças, além de movimentos em Ceinfs (Centro de Educação Infantil) e dois dias D. Consultórios particulares que comercializão a vacina também forneceram os dados para a secretaria.

No sábado apenas as unidades Santa Lucia e Ana Ligia não estarão abertas as demais funcionarão normalmente.

Questionada sobre os motivos pela baixa procura, a enfermeira afirma que um dos fatores são as chamadas fake News (notícias falsas). “Eu acredito que esse monte de informação falsa atrapalha muito, as pessoas acabam se limitando com isso e não buscam a verdade, porque nas campanhas passadas nós não tínhamos tanto problema assim para conseguir bater a meta”, finalizou.

Deixe seu Comentário