Rádios On-line
9196
CBN AÇÃO 2019 PAULO VICENTE
ESCLARECIMENTO

Presidente do Lar de Idosos contesta fala de vereador

Valores cobrados na barraca são estipulados pela organização da festa

16 JUL 2019 - 17h:20Por Alex Santos

O valor cobrado dos pastéis comercializados pela “Barraca do Pastelão” foi destaque na fala do Vereador Carlos Renato “corujinha” Garcia Rios (PR), na sessão ordinária realizada na segunda-feira (8), na Câmara Municipal de Paranaíba. O espaço para comercialização foi doado pelo Sindicato Rural de Paranaíba ao Lar de Idosos Santo Agostinho, e não é cobra aluguel da entidade. Todo recurso adquirido com a venda de pastéis pertence ao Lar. 

O representante do legislativo municipal questionou a cobrança, considerada por ele acima do preço praticado no comércio local, por se tratar de uma entidade, além não haver cobrança de aluguel do espaço e os ingredientes usados para a confecção dos pastéis, serem provenientes de doações. “Ganham tudo! Quem foi la e comeu pastel, viram o preço?”, disse.

A fala de “Corujinha” durante sessão da câmara foi contestada pela presidente do Lar de Idosos Santo Agostinho, Nelma Franco Gonzales. Os valores cobrados da população não são estipulados pela entidade, mas, pela organização da festa, para que haja equidade nos preços praticados dentro do recinto, e não haja prejuízo a nenhum comerciante. “Não poderíamos vender o pastel abaixo do valor determinado pela empresa que coordena a festa. Gostaríamos de vender mais barato, mas os outros barraqueiros precisam pagar o aluguel” falou.

“O Lar tem a graça de receber o terreno e também os produtos para a confecção dos pastéis, porém, nós como diretoria não podemos determinar o preço da venda do pastel na barraca. Em uma oportunidade, a entidade na presidência do Amauri Gonzales, colou abaixo do preço das outras barracas. A coordenação da festa, juntamente com os donos de outros barracas, foram até a ‘barraca do pastelão’ para determinar e taxar o preço”, disse.

Nelma também destacou o fato do representante do legislativo municipal não ter procurado a entidade para esclarecimentos, quanto o valor cobrado na barraca durante a exposição agropecuária. “Venha nos procurar antes de nos criticarem. Estamos abertos a essas explicações”, finalizou.

 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13