Rádios On-line
11358
IMPASSE

Secretária contraria fala de vereador e nega diálogo sobre volta de transporte escolar na 'Portelinha'

Solange Miziara ainda afirmou que quem estiver falando sobre o assunto, citando diálogo com a Prefeitura, está fazendo "politicagem com assunto sério"

12 MAR 2019 - 13h:36Por Leonardo Guimarães

E secretária de Educação de Paranaíba (MS), Solange Miziara, também esposa do prefeito do município, contrariou as declarações dadas pelo Vereador Paulo Borges Beviláqua (BODINHO – PROS), afirmando que havia uma conversação de vereadores com o prefeito e a Secretaria de Educação, com o objetivo de retomar o transporte dos alunos da rede municipal de ensino que moram no bairro Jardim Primavera, também conhecido como “Portelinha”. De acordo com a Secretaria, em conversa com o JPNEWS, o assunto está decidido e não há nenhuma conversação. “O assunto está resolvido e nenhum representante do Legislativo procurou a pasta para buscar informações sobre o impasse no transporte”. A secretaria e primeira-dama ainda advertiu vereadores que estiverem comentando o assunto usando o nome da prefeitura. “Estão fazendo politicagem com assunto sério”, disse. Ainda de acordo com Solange, a Prefeitura aguarda o posicionamento por escrito do Ministério Público em relação ao assunto, tendo em vista que pais de alunos que moram no local se organizaram em um grupo para tomar providências.

Em entrevista ao Jornal do Povo, da Rádio Cultura FM 106,3 MHz, na sexta-feira (8), o vereador afirmou que havia iniciado um diálogo com a pasta em prol deste assunto. “Já estamos conversando com o prefeito para ver se resolve essa situação. Podemos ter novidades na próxima semana”, afirmou. Bodinho ainda afirmou que, assim como anteriormente, em um caso parecido onde o prefeito através de um decreto havia aumentado a quilometragem mínima para buscar alunos na zona rural, ficaria ao lado dos pais e alunos e contava com a sensibilidade do prefeito.

O caso

Carla Maria, 29 anos, comerciante e mãe de uma menina de 9 anos, entrou em contato com a redação do JPNEWS para informar sobre um corte no transporte escolar dos alunos matriculados na rede municipal de ensino em Paranaíba (MS).

De acordo com Carla, os alunos que moram no bairro Jardim Primavera, também conhecido como “Portelinha”, e que fica em uma região afastada no município, perderam o transporte escolar em 2019. Apenas alunos que tenham vínculo com um projeto realizado pela AABB (Associação Atlética Banco do Brasil) continuarão sendo levados do bairro aos locais onde estudam. Inicialmente, a Prefeitura de Paranaíba alegou que a medida foi tomado como “contenção de gastos”.

Após repercussão e protestos, o prefeito de Paranaíba (MS), Ronaldo “Miziara” (PSDB), transferiu para vereadores a responsabilidade sobre o corte no transporte escolar de alunos do bairro Jardim Primavera.

Em conversa com representantes do bairro, o prefeito teria afirmado que “se não é lei, ele não cumpre”, além de voltar a citar “corte de gastos”, afirmou Cassiano Pereira, representante do grupo de pais criado para buscar explicações tanto da Secretaria de Educação quanto do Ministério Público, em relação ao corte. Ainda segundo Cassiano, MP teria pedido explicações à Prefeitura de Paranaíba sobre o assunto.

O bairro está é localizado em uma região afastada do centro da cidade e das unidades escolares, inúmeras famílias que dependiam do transporte agora devem arcar com custo do transporte de ida e volta dos alunos nas escolas.

Criticas

O vereador Ailson Freitas "Binga" (PDT) criticou a decisão do prefeito em retirar da rota de transporte escolar do município os alunos que moram no bairro Jardim Primavera, conhecido como "Portelinha". Desenvolvido em uma região afastada da cidade, o bairro tem inúmeras famílias que dependiam do transporte, que buscava os alunos e os deixava nas unidades de ensino municipais.

Em entrevista ao Jornal do Povo, da Rádio Cultura FM 106,3 MHz, o vereador ouviu o relato da comerciante Carla Maria, representante do movimento de pais que busca solução para o caso. Binga afirmou que auxiliará as famílias e acionará o Ministério Público juntamente com o grupo de pais. Ouça a entrevista:

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13