Rádios On-line

Estado incinera drogas e reforça ações no combate ao tráfico de entorpecentes

No total, 29,1 toneladas de drogas foram incineradas, ontem

24 NOV 2012 - 08h:18Por Redação
As ações realizadas pela Segurança Pública de Mato Grosso do Sul no combate ao tráfico de entorpecentes garantiram a queima de 29,1 toneladas de drogas, ontem (23). A incineração foi realizada nos fornos do Frigorífico Friboi em Campo Grande. 

Do total de drogas incineradas, a maior parte – 28,9 toneladas - corresponde a maconha e outros 130,7 quilos são de substâncias psicoativas, como cocaína, pasta base de cocaína e pedras de crack. Os entorpecentes foram apreendidos na Capital e nas cidades de Sidrolândia, Dourados e Água Clara, com apreensões realizadas pela Polícia Civil, Polícia Militar, Departamento de Operações de Fronteira (DOF) e Polícia Rodoviária Federal. 

“A incineração representa a eficiência e efetividade da atuação das instituições policiais de Mato Groso do Sul”, ressaltou o secretário de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini durante a queima de drogas. Conforme Jacini, com a droga incinerada ontem, a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) já contabilizou 50 toneladas de entorpecentes retirados de circulação este ano no Estado. O secretário informou também que outras incinerações ocorreram em municípios do interior. “Este é um indicador de que a segurança pública vem cumprindo o seu dever, que é reprimir o tráfico de drogas, que traz consigo outros crimes conexos, como roubos e homicídios, de igual ou maior potencial ofensivo”, afirmou. 
 
Em seu discurso, o titular da Sejusp lembrou um caso de latrocínio - roubo seguido de morte - motivado pelo tráfico de drogas, ocorrido em agosto deste ano e que vitimou os jovens Breno e Leonardo. “Esse fato, consternou a todos nós. Os órgãos policiais agiram com efetividade, e deram a pronta resposta esperada, impedindo que os criminosos chegassem a Bolívia. Localizaram a arma do crime e prenderam todos os integrantes da quadrilha. A repressão cumpriu com seu dever e em menos de 24 horas o fato foi esclarecido”, comentou destacando que todas as instituições de segurança pública, numa demonstração de coordenação harmônica deram a resposta que a sociedade esperava. 

Para o delegado titular da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (Denar), unidade da Polícia Civil responsável pela queima, Adriano Garcia Geraldo, a incineração é uma oportunidade de demonstrar à sociedade o trabalho das polícias do Estado. “A queima é um ato que faz parte do inquérito policial. É uma tramitação que cumpre a legislação processual penal, e também uma oportunidade para a segurança pública levar informação para a sociedade”, explicou. 
 
Presente na incineração e responsável por boa parcela da droga incinerada, o diretor do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), coronel Osney Nazareth Duarte destacou a importância da colaboração da sociedade no combate ao tráfico de drogas. “A colaboração da sociedade é importante. Hoje do DOF contabiliza muitas prisões e apreensões decorrentes desse apoio. Temos o nosso disk denúncia, com atendimento 24 horas pelo 0800 647 6300. É uma ligação gratuita, a pessoa não precisa se identificar e o departamento confirmando os dados, vai executar o atividade policial que deve ser feita em cada caso”, informou Duarte.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13