Rádios On-line
DECISÃO

Justiça decreta prisão preventiva de agente penitenciário acusado de matar esposa

Homicídio aconteceu em 2011, no bairro Jardim Novo Aeroporto em Três Lagoas

17 JAN 2017 - 19h:01Por Ana Cristina Santos

O juiz da 1ª Vara Criminal da comarca de Três Lagoas, Rodrigo Pedrini Marcos, decretou a prisão preventiva de um agente penitenciário acusado de matar a esposa no dia 19 de maio de 2011, no bairro Jardim Novo Aeroporto.

O agente, E.L.C, deve ficar preso em uma cela especial em estabelecimento prisional da Capital, em razão do cargo que exerce. Além disso, determinou que o acusado seja  submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri.

Segundo o Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJ/MS), no dia 19 de maio de 2011, por volta das 22h30, no bairro Jardim Novo Aeroporto, em Três Lagoas, a vítima, Joelma Amara de Oliveira,  esposa do agente, foi morta com quatro disparos por arma de fogo por pessoa não identificada, quando saiu para atender alguém que a chamava. Ela foi morta na frete da filha de seis anos.

De acordo com o processo, ambos teriam um relacionamento conturbado. A guarda da filha do casal seria um dos motivos da briga. O pai, segundo consta no processo, queria a guarda exclusiva da filha, além de querer reatar o relacionamento.

Ainda de acordo com as investigações, o acusado teria um relacionamento extraconjugal com outra mulher, que teria ameaçado por telefone a vítima. “Apesar de ambos os réus, em seus interrogatórios, negarem qualquer participação no crime e os argumentos das defesas em alegações finais, nos autos é possível colher provas que indicam que os dois participaram ativamente do homicídio, havendo indícios de ser E.L.C. o mandante e S.M.M. dos S. coautora/partícipe do crime”, diz o juiz em um trecho de sua decisão.

Na sentença, o magistrado determinou apenas a prisão preventiva do agente. A mulher, acusada de ter participado do crime vai aguardar o julgamento em liberdade.

 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13