Rádios On-line
11565

Oito assumem pela primeira vez vaga no Legislativo

Dos 17 vereadores eleitos nesse pleito, oito vão assumir o cargo pela primeira vez

9 OUT 2012 - 08h:51Por Cláudio Pereira

As novidades na Câmara Municipal de Três Lagoas vão além do número maior de vereadores, de 10 para 17. Ao lado de rostos conhecidos na política, no próximo ano, estarão nomes novos. Do total de vereadores eleitos, oito vão ocupar pela primeira vez uma vaga no Legislativo.

GIL
Gilmar Leite, conhecido como Gil do Jupiá, é um deles. Ele foi o sexto vereador mais votado nas eleições deste ano, com 1.240 votos. Essa foi a primeira eleição da qual participa. Ao Jornal do Povo, ele disse que ainda não caiu a ficha da sua vitória. “Não tinha estrutura de campanha. Não tinha nada a oferecer, apenas um bom nome e um trabalho prestado ao longo de dez anos”, destacou.

O vereador eleito revelou que a campanha eleitoral foi muito difícil. “Só Deus sabe o quanto foi difícil levar as propostas para os bairros. Faltava gasolina, santinhos, mas graça a Deus e com o apoio da minha família, amigos e da imprensa, sempre parceira, pude sair vitorioso”. Gil acredita que tinha potencial para ser eleito, mas acha que poderia ter 800 votos. “Para a minha surpresa, dos que não tinham estrutura fui um dos mais votados”, salientou. Ele disse que atuará em todas as áreas, mas terá como prioridade o trabalho voltado ao social, ao esporte e lazer, a fim de ocupar o tempo dos jovens.

ADÃO
Adão José Alves, o Adão da Apae, como é conhecido, também ocupará uma vaga no Legislativo no próximo ano pela primeira vez. Essa foi a segunda eleição que ele disputou, sendo eleito com 983 votos. No pleito passado, Adão obteve 736 votos. O vereador eleito revelou que fez uma campanha humildade e com o pé no chão. “Não importa a votação que tive, o importante é que foi suficiente para eu ser eleito. Acredito que foi uma votação de reconhecimento devido ao trabalho que desenvolvo à frente da Apae há 12 anos”, destacou.

O vereador eleito afirmou que pretende desenvolver um trabalho voltado a todas as áreas. Entretanto, adiantou que o primeiro projeto que irá apresentar será para que a Prefeitura monte uma equipe para qualificar pessoas com deficiência para serem inseridas e acompanhadas no mercado de trabalho.

IVANILDO
Apesar de gostar de política, essa foi a primeira vez que o apóstolo Ivanildo Teixeira de Faria (PSB) disputou uma eleição. Há 16 anos, ele participa de processos políticos, mas sempre apoiando algum candidato. Dessa vez, saiu candidato e obteve 999 votos. “Não caiu a ficha ainda. Foi uma vitória suada e ainda não deu tempo de digerir o que é ser uma pessoa eleita”, comentou.

Ivanildo disse que pretende ter como bandeira no Legislativo o trabalho social, já que a igreja Batista Nova Aliança, da qual faz parte, desenvolve três projetos voltados às crianças e jovens na prevenção ao uso de droga. Segundo o apóstolo, essa foi uma campanha muito difícil, já que não dispunha de recursos financeiros, e contou com o apoio dos amigos, da família e de voluntários.

KLEBINHO
Assim como os demais, Kléber Carlos Carvalho, o Klebinho do PPS, disse que ainda não caiu a ficha. “Ainda estamos meio que dormindo, já que era um sonho que se tornou realidade”, declarou o vereador eleito, que exerce a função de contador. Ele adiantou que irá conciliar a função de vereador com a de contador. “É possível conciliar. Fizemos vários estudos antes de sair candidato. Antes de vereador, temos um compromisso com os clientes”, salientou.

Essa é a terceira vez que Klebinho disputa uma eleição. Ele informou que essa candidatura vem sendo postulada desde 2004, e que saiu candidato a pedido de um grupo. Kleber foi eleito com 907 votos, e disse que não pretende defender uma bandeira específica, mas atender a todos de um modo geral. “Não sou mais o Klebinho do PPS e sim de Três Lagoas”, frisou.

SIRLENE
Ela foi considerada outra surpresa nas eleições deste ano. Sirlene dos Santos Pereira (PRB), a Sirlene da Saúde, saiu candidata pela segunda vez, sendo eleita com 627 votos. “Estou muito feliz, agradeço a Deus toda a população que confiou em mim”, declarou. Ela afirmou que sempre acreditou que seria possível um dia ser eleita. “Eu tinha esse sonho, essa expectativa”, disse.

Sirlene acredita que o trabalho social, principalmente na área da saúde, o qual desenvolveu no Distrito de Arapuá e depois em Três Lagoas, contribuiu para o reconhecimento da população. Ela afirmou que a sua bandeira no Legislativo será a saúde.

BAZÉ
Filho de família tradicional em Três Lagoas, o advogado Marcus Vinicius Bazé de Lima (DEM), é outra cara nova no Legislativo no próximo ano. Ele foi eleito com 921 votos. “Estou ainda acordando para a realidade, acreditava um pouco menos”, disse. Agradeceu a família Bazé e Lima, assim como outras que abraçaram sua candidatura.

Se por um lado está feliz, por outro, Marcus Bazé está triste pelo fato do partido não ter conseguido reeleger o vereador Celso Yamagut. Muito emocionado, o advogado disse que Celso foi muito parceiro e contribui muito para sua candidatura. “Ele [Celso] não foi nem um pouco egoísta e me ajudou muito”, declarou.

Filiado no partido desde que era o antigo PFL, Marcus Bazé comentou que sempre fez política estudantil em Campo Grande. Presidiu também a juventude do DEM e foi vice-presidente estadual do partido. “A política está no sangue da família Bazé. Meu avô sempre foi político, não deu certo com minha tia Marizethe Bazé nem com minha mãe, a Terezinha Bazé, mas agora deu cero comigo. Todos os Bazé empenharam-se muito para me ajudar. Agradeço muito aos meus tios e toda minha família”, declarou.

WELTON
Policial militar há 14 anos, Welton Alves da Silva (PRB),o pastor Welton, saiu candidato pela segunda vez, e desta foi eleito com 730 votos. Embora a disputa seja difícil, ele disse que tinha certeza de que seria eleito vereador. Além do apoio da instituição da Polícia Militar, Welton contou também com a ajuda da classe evangélica.

BETO
Tido como uma das principais surpresas desta eleição, Roberto Silva de Araújo, o Beto Araújo, foi eleito pela primeira vez com 636 votos. Durante a campanha, ele chamou a atenção pelos cavaletes espalhados pela cidade em que aparecia com a imagem de um cachorro. Beto faz parte da Associação de Proteção aos Animais, e teve essa como uma de suas principais bandeiras durante a campanha. Na Câmara, disse que continuará defendendo os animais, mas também atuará em outras áreas.
 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13