Rádios On-line
11565

Frigorífico de pescado investirá R$ 18 milhões em Aparecida

GeneSeas Biotecnologia e Desenvolvimento Sustentável ganha concessão para criar peixes no rio Paraná.

28 SET 2012 - 09h:26Por Arquivo

A empresa GeneSeas Biotecnologia e Desenvolvimento Sustentável, sediada em Promissão (SP), vai investir R$ 18 milhões na instalação de tanques-rede e um frigorífico de pescado em Aparecida do Taboado.

O empreendimento, que teve incentivos fiscais aprovados na última reunião do Conselho do Programa Estadual de Fomento à Industrialização, ao Trabalho e à Renda (MS–Empreendedor), vai gerar 416 empregos diretos quando ativar todas suas linhas de produção.

Será a primeira indústria do setor de aquacultura no município. Além dos incentivos do Estado e do município, a empresa obteve a concessão, gratuita, para utilização de parques aquícolas no reservatório da Hidrelétrica de Ilha Solteira.

O diretor da empresa, Tito Livio Copobianco Junior, disse ao Jornal do Povo, que as obras do complexo aquícola começam em março de 2013 e no prazo de um ano (a partir de fevereiro de 2014) o frigorífico entra em operação, produzindo filé de peixe fresco e congelado. No primeiro ano serão abatidas 500 toneladas de pescado por mês. A produção será destinada a restaurantes, hotéis, cozinhas industriais e supermercados em todo o Brasil.

Dos 416 empregos prometidos no processo de concessão de incentivo fiscal, 150 serão gerados no primeiro ano, com o agravante da falta de mão de obra qualificada na região. “A planta está sendo projetada modularmente e prevê um abate de 2 mil toneladas/mês em 2018”, disse Copobianco ao JP. “Incentivos, logística e mercado foram determinantes ao investimento”, completou, notando o fundamental no projeto, que é o rio Paraná.
 
A unidade industrial de processamento de pescados em Aparecida do Taboado será a quinta unidade da GeneSeas, que tem filiais na cidade de São Paulo, Barra Bonita, Promissão e Nova Avanhadava. Nessas unidades funcionam tanques de produção de alevinos, engorda, processamento e distribuição de pescados ‘cultivados’.

Em Aparecida do Taboado o sistema de cria e engorda será em tanques-rede ou gaiolas flutuantes, com alta renovação de água, aproveitando o leito do rio Paraná. A ideia é instalar todo o complexo, dos tanques de cria e engorda à produção de ração, armazenagem e distribuição, além do frigorífico.
 
Hoje os frigoríficos da GeneSeas processam as espécies Pacu-guaçu, Curimbatá, Lambarí-tambiú, Piapara e Piracanjuba, que são distribuídos no mercado resfriados ou congelados, dentro dos padrões exigidos pela certificação do SIF (Serviço de Inspeção Federal).
Segundo a secretária estadual de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), Tereza Cristina Correa da Costa Dias, as oportunidades no setor de aquacultura estão crescendo e logo poderá se tornar uma das principais atividades do agronegócio.
A piscicultura é uma atividade aquícola com grande potencial, considerando que o Brasil, além de possuir 8 mil quilômetros de costa, detém 15% de toda a água doce do mundo. A aquacultura supre 74% da produção mundial de pescados. As curvas de consumo das carnes consideradas "brancas" têm apresentado crescimentos significativamente maiores que as dos outros tipos de proteínas.

 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13