Rádios On-line

Prefeito quer que "Ferrovia Norte-Sul" passe por Brasilândia

Com a Norte-Sul, Brasilândia vai integrar rota do desenvolvimento, diz Jorge Diogo

10 MAI 2013 - 08h:37Por Moisés Viana

O prefeito de Brasilândia, Jorge Diogo (PT), que participou na última segunda-feira da Audiência Pública sobre a “Ferrovia Norte-Sul”, em Dourados, defende a junção de dois estudos com traçado que passe pelo seu município e por Três Lagoas, na divisa MS-SP. O outro traçado prevê a passagem por Aparecida do Taboado e Três Lagoas.

As lideranças políticas estão divididas em relação aos traçados. Depois da audiência pública, foram desencadeados movimentos em defesa de Aparecida do Taboado e Três Lagoas. Os prefeitos de Bataguassu, Pedro Caravina (PSDB), e de Brasilândia, Jorge Diogo, defendem o traçado que passa pelos seus municípios e contempla Santa Rita do Pardo.

Na audiência pública, diversos prefeitos, vereadores, empresários e lideranças das cidades que serão impactadas ou mesmo de regiões vizinhas ao traçado proposto fizeram questionamentos e deram sugestões sobre o projeto. Os representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) explicaram que todas as intervenções serão analisadas e levadas em consideração pela Agência.

“Todas as sugestões serão estudadas e depois divulgadas as conclusões”, afirmou o superintendente de Infraestrutura Ferroviária da ANTT, Jean Mafra.
A ANTT e a EPL estudaram três traçados diferentes e identificaram a viabilidade econômica, a atratividade e o respeito ambiental do projeto a ser apresentado no dia 6. “O traçado está pronto, mas a população teve a oportunidade de opinar. Agora o estudo inicial pode sofrer alterações, desde que elas sejam viáveis economicamente e sob o ponto de vista ambiental”, disse o deputado Geraldo Resende (PMDB-MS), vice-presidente da Frente Parlamentar das Ferrovias na Câmara Federal.

A obra de implantação está prevista para ser iniciada em 2014. Ainda neste ano, o trecho será licitado para concessão de construção e administração pela iniciativa privada. Segundo o cronograma do governo federal, até 2019, locomotivas e máquinas já estarão transitando na Estrada de Ferro 267.

Além de Dourados, as cidades sul-mato-grossenses de Brasilândia, Santa Rita do Pardo, Bataguassu, Nova Andradina, Angélica e Deodápolis deverão ser contempladas com o traçado do ramal ferroviário que fará o percurso entre Estrela D’Oeste (SP), onde se bifurcará com a futura linha da Norte-Sul, passando por Panorama (SP), às margens do rio Paraná.

“Brasilândia passa por uma redescoberta, uma vez que a construção da ponte que une o Estado de São Paulo e Mato Grosso do Sul tirou o nosso município do isolamento. Com a chegada desta ferrovia, o desenvolvimento será constante, ou seja, Brasilândia de fato vai integrar a rota do desenvolvimento”, disse o prefeito Jorge Diogo.

TRÊS LAGOAS
Para o prefeito de Brasilândia, é preciso defender que o traçado também passe por Três Lagoas, “pois atualmente o município recebe um grande número de fábricas”, e também por Rio Brilhante, que tem a sua economia em ascensão. “A nossa expectativa é que seja feita um audiência pública em Panorama (SP), já que a rota também inclui esse município. Esta reunião deveria também acontecer com os prefeitos da região da Alta Paulista, pois essa obra é de interesse coletivo”, disse Jorge Diogo.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13