Rádios On-line

SED fecha turnos em escolas de Cassilândia e Paranaíba

Aproximadamente 95% das escolas devem passar pelo processo de reordenamento

28 DEZ 2012 - 07h:00Por Reprodução

O reordenamento das escolas, iniciado em outubro, já atinge estabelecimentos de ensino em Cassilândia e Paranaíba. A decisão do governo gera discussão entre pais de alunos, que não concordam com o agrupamento de até 50 estudantes em uma sala de aula. A Secretaria Estadual de Educação (SED) informa que a medida visa facilitar o trabalho pedagógico, planejamento de aulas, gestão e racionalização de custos. Aproximadamente 95% das escolas devem passar pelo processo de reordenamento.

Ontem, a SED anunciou a supressão do turno da manhã na Escola Estadual Rui Barbosa, na Vila Pernambuco, em Cassilândia. Deve ser confirmado também o fim do turno noturno da Escola Estadual Gustavo Rodrigues da Silva, em Paranaíba. Em todo o Estado, há 262 mil alunos.

A principal preocupação dos pais é quanto ao agrupamento, mas a SED diz que a medida objetiva reunir alunos da mesma faixa etária para facilitar o trabalho de coordenação pedagógica. O governo poderá também determinar o fechamento de escolas com poucos alunos e que estejam próximas de outros estabelecimentos educacionais.

A concentração de estudantes em regiões com mais de uma escola já vem sendo feita na Capital. Segundo a SED, a readequação de salas busca “otimizar” o espaço físico e a desativação de turnos leva em conta a escassez de alunos em determinadas escolas. 

É o caso da Escola Estadual Rui Barbosa, de Cassilândia. O ano letivo de 2012 terminou com o turno da manhã funcionando apenas com duas classes, uma com 20 e outra com 16 alunos. A Secretaria de Educação diz que não haverá prejuízos aos professores concursados, mas educadores contratados podem ser demitidos. Serão mantidos na Escola Rui Barbosa apenas os turnos vespertino e noturno.

FÓRUM 
No início do mês, com a informação de fechamento no período noturno da Escola Estadual Gustavo Rodrigues da Silva, o Fórum Intermunicipal de Educação do Bolsão, que reúne as cidades de Paranaíba, Inocência e Aparecida do Taboado, pediu que a SED confirme a medida. Ainda não houve a comunicação oficial, mas é praticamente certa a supressão de salas no período noturno em razão da falta de alunos. Uma das causas é a evasão escolar. Pelo projeto de reordenamento, passariam a funcionar na escola de Paranaíba apenas os turnos da manhã e da tarde.

Os representantes dos cursos de Ciências Sociais, Pedagogia, Especialização em Educação, Mestrado em Educação (UEMS) e Matemática (UFMS), dispuseram-se a produzir estudos que tentem explicar o problema da evasão escolar do período noturno. Com base nesses estudos, há uma proposta para que, junto à escola, as universidades também contribuam para a solução do problema.
ESCOLA RURAL
A comunidade escolar, integrada por professores e pais de alunos, reclama que o governo decidiu adotar as medidas unilateralmente. No dia 12, a Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal aprovou projeto que exige manifestação do órgão colegiado do sistema de ensino local antes de autorizar o fechamento de escolas rurais. A medida não se aplicaria, segundo o projeto, às escolas urbanas. 

No caso de estabelecimentos em áreas rurais, caberá ao órgão avaliar a justificativa apresentada pela Secretaria de Educação, o diagnóstico do impacto da ação e a manifestação da comunidade escolar. O projeto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/96). De acordo com o Ministério da Educação, nos últimos cinco anos mais de 13 mil escolas do campo foram fechadas. Em muitos casos, isso causou transtornos à população rural que, ou deixa de ser atendida, ou passa a demandar serviços de transporte escolar para que seus filhos tenham acesso à escola. 

Na região do Bolsão, Santa Rita do Pardo é a cidade com maior número de escolas rurais. Mais de 50% da população residem em assentamentos e fazendas. Os ônibus do transporte escolar rodam 5 mil quilômetros por dia em período de aula.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13