Rádios On-line
IMUNIZAÇÃO

Três Lagoas fica sem vacinas contra H1N1 no segundo dia de campanha

Campanha Nacional de Vacinação começou no sábado (30) e houve muita procura nos postos de saúde da cidade

2 MAI 2016 - 11h:11Por Kelly Martins

No segundo dia da campanha contra a gripe, as vacinas que protegem do vírus H1N1 acabaram em Três Lagoas. Muitas pessoas que procuraram os postos de Saúde da cidade, nesta segunda-feira (2), receberam a informação de que as doses não foram suficientes. O dia “D” da campanha nacional iniciou no sábado (30) e pretende imunizar 25.236 pessoas que pertencem ao grupo prioritário, no município.

Além da rede pública, os estoques de vacinas da única clínica particular que disponibiliza as doses, em Três Lagoas, também já se esgotaram. “A demanda está grande e não há previsão de quando vamos receber mais doses”, disse uma das atendentes à reportagem. 

A coordenadora do Setor de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Humberta Azambuja, explica que o Ministério da Saúde encaminhou o primeiro lote para o início da campanha com apenas 11 mil doses. A outra remessa, segunda ela, está prevista para ser enviada a partir de 10 de maio. “A procura foi grande já no inicio da campanha e, agora, vamos ter que aguardar o próximo lote para dar continuidade à imunização”, ressaltou. A campanha vai até o dia 20 de maio.

A vacinação é voltada aos grupos prioritários, recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS): pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto) e os funcionários do sistema prisional. As pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis também devem procurar os postos de saúde.

Desse grupo, apenas as crianças dos 16 Centros de Educação Infantil (CEIs) foram vacinadas, já que a imunização iniciou de forma antecipada nas unidades. No sábado, grandes filas se formaram nos postos de saúde e também nos pontos de apoio montados para atender a demanda. De janeiro a abril foram registrados oito casos suspeitos de H1N1 em Três Lagoas.

Na rede particular, as doses são comercializadas atualmente entre os valores de R$ 90 e R$ 120. O primeiro valor se refere à vacina trivalente, que protege contra H1N1, H3N2 (ambos vírus da Influenza A) e uma cepa da Influenza B. Paga um pouco mais caro quem quer receber a dose da vacina tetravalente, que além de proteger contra o H1N1, o H3N2 e a Influenza B também protege contra uma segunda cepa da Influenza B. 

Deixe seu Comentário