Rádios On-line
CRIME

Acidentes com linha chilena e cerol deixam sete vítimas em Três Lagoas

Ocorrências foram registradas em hospitais da cidade e as algumas vítimas procuraram a polícia

29 AGO 2017 - 09h:45Por Kelly Martins

Caco de vidro e cola de sapateiro. Material perigoso e usado na linha de cerol, que já fez, pelo menos, sete vítimas somente este ano, em Três Lagoas. Mesmo sendo considerado crime, soltar pipa com este material tem sido cada vez mais constante, colocando a vida de muitas pessoas em risco. As ocorrências foram registradas em hospitais da cidade após atendimentos a moradores feridos.

Muitos deles percorriam ruas, avenidas, de moto ou bicicleta. Por sorte, ninguém morreu vítima deste tipo de crime na região. Moradores de alguns bairros, que preferem manter a identificação em sigilo, também denunciam sobre o uso da linha chinela. O material é resistente é tem um poder de corte quatro vezes maior que uma linha com cerol feito de vidro. Isso porque o cerol chileno é feito com uma mistura de quartzo e óxido de alumínio.

Em 1º de agosto, um caso foi registrado no bairro Jardim das Acácias. O auxiliar de produção Murilo Henrique Rezende, de 22 anos, foi uma das vítimas da linha de cerol e sofreu um corte na boca, que resultou em quatro pontos.

O fato ocorreu no momento em que saía do trabalho e retornava para casa. Murilo pilotava uma moto e a esposa estava como passageira. Ao trafegar pela rua Antônio Estevan Leal, percebeu que havia alguém soltando pipa e avisou a esposa.

“Eu vi a linha descendo e percebi que iria nos atingir. Gritei para a minha esposa se proteger. Ela colocou a mão no rosto e sofreu um ferimento no braço. Foi tudo tão rápido que não deu tempo para eu desviar e a linha acabou me atingindo”, contou. O casal não conseguiu identificar quem estava soltando a pipa e a moto não tinha a antena corta-pipa.

Jovem foi vítima na linha do cerol no bairro Jardim das Acácias. Foto: Arquivo Pessoal

Uma adolescente, de 15 anos, também ficou ferida no bairro Interlagos, no mês de julho. Ela estava passeando de bicicleta com as amigas quando a linha de cerol atingiu a testa. Ela sofreu um corte que resultou em dois pontos.

Crime
A legislação estadual proíbe o uso de linhas com cerol ou linha chilena para empinar papagaios. O responsável fica sujeito ao pagamento de multa, que varia de R$ 100 reais a R$ 1,5 mil, podendo ainda ser preso em flagrante. As ocorrências envolvendo linha de cerol foram encaminhados para a Polícia Civil. A Polícia Militar orienta aos moradores que denunciem quando alguém estiver usando este tipo de linha.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13