Rádios On-line
PERIGO

Acidentes domésticos passam de 200 e põem bombeiros em alerta

Casos ocorrem porque muitos materiais utilizados no dia a dia parecem que não oferecem perigo

8 JUL 2019 - 09h:00Por Kelly Martins

Sabe aqueles segundos de descuido que se transformam em um momento de desespero? A dona de casa Luana Korin viveu uma situação assim quando percebeu que o filho mais novo, de apenas um ano, tinha engolido um brinco. E ela só percebeu porque viu o outro par no tapete - o mesmo  que, pouco antes, havia “escondido”. “Eu estava amamentando o Davi. Tirei os brincos e escondi atrás de mim, no sofá. E foi tudo muito rápido entre ele [Davi] ficar na sala e eu ir até o quarto. Na volta, vi que tinha um brinco no chão e o outro havia sumido. Percebi que ele tinha engolido. Fomos ao médico, foram feitos exames e constou o objeto no estômago. O brinco saiu através das fezes”, contou a dona de casa. 

Somente neste ano, ao menos 200 acidentes domésticos foram registrados em Três Lagoas. Com a chegada das férias escolares, o número pode aumentar e a preocupação também, segundo o Corpo de Bombeiros porque o índice de casos no município é considerado alto e corresponde, em média,  a 33 registros por mês, entre janeiro a junho. Os dados são de um levantamento do 5º Grupamento de Bombeiros Militar. 

Os acidentes domésticos são mais comuns do que se imagina e isso acontece porque muitos materiais utilizados no dia a dia parecem que não oferecem perigo. A maioria dos casos ocorre dentro de casa e, muitas deles, envolvendo crianças, já que estão no ambiente e se sentem mais à vontade. 

TOMBOS
Na lista também há idosos que costumam se acidentar, principalmente, com quedas, tombos. Entre os motivos: falta de iluminação adequada e tapetes pela casa. O subtenente do Corpo de Bombeiros, Reinaldo Cândido, explica que muitos acidentes domésticos são decorrentes de distração e imprudência. “É preciso se atentar aos detalhes, como brinquedos espalhados pelo chão, faca, garfo, objetos pequenos decorativos e até mesmo com móveis de quinas ou de vidro”, diz. O policial também destaca as ocorrências envolvendo engasgamento com alimentos, intoxicações, queimaduras e choque elétrico. Em todas,  orienta: manter a calma e procurar ajuda.

Confira a reportagem:

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13