Rádios On-line

AkzoNobel investe 90 milhões de euros em ilha química

É a segunda ilha em Três Lagoas. Todas as plantas de dióxido de cloro em fábricas de celulose são da AkzoNobel

8 MAR 2013 - 09h:09Por Arthur Freire/JP

A AkzoNobel Brasil inaugurou ontem a ilha química que vai atender a fábrica de celulose da Eldorado Brasil. O sítio, como é denominada a ilha, já opera desde 29 de novembro de 2012 produzindo dióxido de cloro e desde 22 de fevereiro fornece clorato de sódio para o processamento de celulose da Eldorado, mas a inauguração oficial ocorreu nesta quinta-feira, quando a empresa reuniu em Três Lagoas toda sua diretoria no Brasil e representantes da Holanda e da Suécia, além de executivos canadenses e de outras partes do mundo.
É o segundo site da unidade Pulpand Performance Chemicals da Akzo Nobel, em Três Lagoas. A primeira atende à fábrica da Fíbria dentro do mesmo conceito. Segundo o gerente comercial da empresa, Paulo Bertti, o “site Jupiá” vai produzir 72 mil toneladas de clorato de sódio por ano para o branqueamento de celulose da Eldorado. Hoje a unidade já emprega 50 pessoas, que trabalham em três turnos.
A ilha opera 24h, sete dias por semana e só vai parar quando a Eldorado precisar fazer uma manutenção, já que a produção de celulose só é possível com os produtos químicos para branqueamento da polpa. A matéria-prima para a produção do clorato é o cloreto de sódio, conhecido como sal, usado para uso doméstico. Do sal, é produzido o dióxido de cloro.
É função também da ilha Jupiá a compra e armazenamento de outros agentes químicos usados pela Eldorado, como a soda cáustica, o ácido sulfúrico, peróxido de hidrogênio, bissulfato de sódio e metanol.
A AkzoNobel é uma empresa global que faturou no ano passado, em todo o mundo, 16 bilhões de euros. No Brasil, onde a AkzoNobel tem 15 fábricas em seis estados, o faturamento foi de 1 bilhão de euros. São 2,8 mil funcionários, dos quais 400 no segmento da celulose.
O presidente da empresa no Brasil, Antonio Carlos Francisco, disse ao Jornal do Povo que a instalação de uma indústria dentro de outra fábrica, além de proporcionar cooperação estreita, elimina o transporte, reduz riscos e resulta em “ecoeficiência”.
Há ainda os serviços compartilhados para a otimização de custos, como a produção de energia a partir da biomassa gerada pelo moinho da Eldorado.
Entre as especialidades químicas estão também as tintas decorativas e de revestimento. “Somos a maior companhia global de tintas e revestimentos e uma das principais fabricantes de especialidades químicas”, disse Antonio Carlos Francisco, que durante a inauguração falou em inglês em razão da presença de um grande número de executivos estrangeiros na inauguração da ilha.
Para Jaap de Jong, diretor da AkzoNobel para o Brasil e América Latina, ontem foi um marco para a companhia, que tem no Brasil seu 4º maior mercado: “A inauguração de Jupiá dá início a uma série de anúncios que faremos em 2013 e é mais um importante passo para alcançarmos nossas metas de expansão no País”, disse.

 

 

ACORDO
A AkzoNobel fez acordo de fornecimento para a Eldorado por prazo de 15 anos. Para José Carlos Grubisich, CEO da Eldorado Brasil Celulose, é uma parceria “estratégica” porque as duas empresas têm ambições globais.  O presidente da companhia no Brasil, Antonio Carlos Francisco, considera o acordo benéfico porque valoriza o conceito de ilha química, “que nos permite participar do fomento à economia local, por meio da geração de empregos e atuação em projetos sociais”.

Ele disse que AkzoNobel já investiu em alguns projetos sociais em Três Lagoas, junto com a Fibria, e considera importante que a comunidade defina pontualmente onde a companhia poderá contribuir. “Preferimos investir em projetos pontuais, em ações com maior alcance social, projetos em que a comunidade possa participar e se engajar”.
Para Ruud Joosten, diretor global da AkzoNobel Pulpand Performance Chemicals, a nova fábrica empregará até 60 funcionários, incluindo os 50 já mobilizados para a garantia de uma oferta de celulose de eucalipto sustentável para o mercado global.

EXPANSÃO
Embora esteja instalada dentro do complexo da Eldorado, a fábrica química poderá atender a demandas externas, segundo o gerente comercial Paulo Betti, porque o site “Jupiá” produzirá clorato de sódio em escala mundial.

Segundo ele, dentro do projeto de expansão da Eldorado, a AkzoNobel também se prepara para dobrar sua capacidade de produção. Há espaço para ser instalada até uma outra ilha para atender às demandas da Eldorado, que incluem o fornecimento, armazenamento e manipulação de todos os químicos para a produção de 1,5 milhão de tonelada de celulose por ano, neste primeiro estágio, e 5 milhões de toneladas em 2021.

 

 

LÍDER GLOBAL
A Pulp and Performance Chemicals constitui uma unidade de negócios da AkzoNobel, a maior empresa de tintas e revestimentos do mundo. É, também, líder global em tecnologia e produtos químicos utilizados para branqueamento de celulose e aditivos para fabricação de papel. Seus 2.800 funcionários servem a indústria de celulose e papel em escritórios e fábricas espalhados por 30 países. 

No Brasil, implantou todas as novas plantas de dióxido de cloro nas fábricas de celulose dos últimos 15 anos.

Em 2005, inaugurou site Bahia, localizado na cidade de Eunápolis, uma ilha química de dióxido de cloro, hidrogênio, oxigênio e tancagem para soda cáustica, peróxido de hidrogênio, ácido sulfúrico, metanol e outros químicos, além de uma fábrica de clorato de sódio com capacidade para 58 mil ton/ano, para atender às necessidades das fábricas de celulose da região.

As atividades da AkzoNobel no Brasil estão divididas em suas três principais áreas de negócios mundiais: Tintas Decorativas; Performance Coatings e Especialidades Químicas. Cada área possui unidades de negócios dedicadas a serviços específicos. Em Tintas Decorativas, a companhia trabalha com as marcas Coral e Sparlack.

 

 

Dentro de Performance Coatings, existem as unidades Automotive&Aerospace Coatings (marcas Wanda e Sikkens); Marine & Protective Coatings (marca International); Powder Coatings (marcas Interpon e Resicoat), Packaging Coatings e Wood Finishes and Adhesives (Resinas Iguatu). Já, em Especialidades Químicas, estão inclusas as unidades Pulp and Performance Chemicals (marca Eka), a Surface Chemicals e a Functional Chemicals. São, ao todo, 2.800 colaboradores distribuídos em 15 fábricas em seis estados e que fazem do Brasil o 4º maior mercado para a companha.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13